EDIÇÃO 24 » COMENTÁRIOS E PERSONALIDADES

O melhor e o pior da WSOP 2009


Sérgio Prado

Enquanto escrevo esta coluna, está acontecendo em Las Vegas, mais precisamente na Amazon Room do Rio Hotel & Casino, o quinto dia do Main Event da World Series Of Poker 2009. Apesar da mesa final só acontecer em Novembro, já dá para fazer um balanço da edição deste ano da maior série de tor¬neios de poker do mundo. Senhoras e senhores, com vocês... O “Melhor e o Pior da WSOP 2009”!

O MELHOR:

Braceletes Duplos

Todos sabem que a batalha para que o poker seja reconhecido como um jogo de habilidade é difícil. Mas conseguimos alguns bons argumentos na WSOP 2009, graças aos jogadores que conseguiram múltiplas conquistas. A edição deste ano ficou marcada pelo desempenho de Jeffrey Lisandro, que, com a con¬quista de três braceletes em modalidades de Stud, levou o titulo de “Jogador do Ano da WSOP”. E ainda tivemos Phil Ivey, Brock Parker e Greg Mueller levando dois braceletes cada, isso sem falar na conquista de Thang Luu, que levou o bracelete da mesma competição (US$ 1.500 Omaha Hi / Lo Split 8 or Better) pelo segundo ano consecutivo. Acho que nem o mais teimoso dos seres humanos pode acreditar que a sorte tenha um papel fundamental nestas conquistas...

Novos Ídolos

Sempre achei que o poker precisa de ídolos e fico feliz que eles estejam aparecendo! Pouco tempo atrás, os nicknames de alguns jogadores eram dez vezes mais conhecidos que seus nomes de batismo. Mas hoje, quem acompanha o poker sabe quem são Sorel Mizzi, Isaac Baron e Cliff Josephy, sem termos que citar seus pseudônimos da internet “Zangbezan24”, “WestMenloAA” ou “JohnnyBax” – isso só para citar alguns poucos exemplos. Os ícones famosos do online estão virando as caras conhecidas do circuito mundial, e o poker só tem a ganhar com isso.

Twitter

Escrevi maravilhas sobre essa invenção no meu blog da ESPN em março e realmente esse foi o ano do Twitter na WSOP. A ferramenta de microblog virou mania nos salões do Rio, ajudando a passar cada vez mais informação para o público. 140 caracteres são mais do que suficientes para se contar uma bad beat, uma mão vitoriosa, uma eliminação ou uma premiação. Parece que o Twitter foi inventado tendo como objetivo a divulgação dos torneios de poker! Afinal de contas, é ótimo poder ter a informação correta sendo passada direto da fonte. Ajuda quem acompanha e quem trabalha com a notícia. Longa vida ao Twitter! Por falar nisso, quem quiser me seguir, pode acessar www.twitter.com/seprado.

ESPN

Não contem para ninguém, mas no começo eu torci o nariz para as escolhas que a ESPN americana fez na sua grade de transmissão dos eventos deste ano. Fiquei chateado por terem sidos excluídos episódios do 50K H.O.R.S.E. e das outras modalidades, como Pot-Limit Omaha e Stud. Mas agora tenho certeza que a decisão foi mais do que acertada! O fanático por poker pode acompanhar quase tudo pela internet, com várias mesas finais sendo transmitidas durante a maratona da WSOP. E o público em geral, que não tem tanta familiaridade com as regras de todas as modalidades, vai poder acompanhar torneios de No-Limit Hold’em “inéditos” na televisão, como o Evento #2 (40k No Limit Hold’em), o Tournament Of Champions, o Ante Up For Africa e, claro, o Main Event.

O PIOR:

H.O.R.S.E.

Decepção. Essa é a melhor palavra para descrever o torneio de 50K H.O.R.S.E. deste ano. O evento, que vinha ganhando prestígio a cada ano, teve um numero de participantes bem menor do que em 2008. Será que a crise econômica pode ter atrapalhado? Duvido. A falta da televisão pode ter prejudicado? Talvez. Mas, com apenas 95 inscritos e uma mesa final sem tantos nomes de peso, o torneio acabou não tendo o destaque merecido. Ainda assim, acredito que esse seja, junto com o Main Event, o evento mais bacana da WSOP. Alguma mudança vai ter que ocorrer para a disputa do ano que vem...

Fiasco do Dia 1-D

O Dia 1-D do Main Event vai ficar marcado para sempre na história da WSOP. Mais de 200 jogadores foram privados de disputar o Evento Principal, entre eles, grandes nomes do poker mundial e do Brasil. A falta de planejamento dos participantes ajudou, mas a organização do evento também teve sua parcela de culpa. Tomara que em 2010 o esquema de inscrição para o Main vent seja reformulado, e espero que a organização deixe um dia livre após os dias iniciais, para uma possível superlotação. E também não custa nada os jogadores se programarem um pouco melhor...

Participação Brasileira

Ok, estou esperando as críticas com esse tópico... Mas eu confesso que esperava mais dos brasileiros esse ano... Desde que os primeiros brazucas foram para a disputa em Las Vegas, a nossa participação só foi melho¬rando, culminando com a conquista do primeiro brace¬ lete no ano passado com o Alexandre Gomes, além do 10º lugar do Anderson Silva em um evento de No Limit Hold’em e com Rafael Caiaffa chegando na 55ª coloca¬ção no Main Event, totalizando seis brazucas na faixa de premiação. Neste ano tivemos uma mesa final (Felipe Ramos), uma mesa semifinal (Gualter Salles) e apenas quatro premiados no Main Event (Cláudio Baptista, Nelson Dantas, João Marcelo e Diogo Mariani). Não che¬gou a ser uma tragédia, mas quem torce pelo poker do nosso país sempre espera evolução… Que venha a WSOP 2010 para que possamos lavar a alma!




NESTA EDIÇÃO



A CardPlayer Brasil™ é um produto da Raise Editora. © 2007-2019. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização.

Lançada em Julho de 2007, a Card Player Brasil reúne o melhor conteúdo das edições Americana e Européia. Matérias exclusivas sobre o poker no Brasil e na América Latina, time de colunistas nacionais composto pelos jogadores mais renomados do Brasil. A revista é voltada para pessoas conectadas às mais modernas tendências mundiais de comportamento e consumo.

Sede: Rua Stela de Souza, 54 - Sagrada Família - Belo Horizonte/MG - CEP: 31030-490
contato@cardplayer.com.br
31 3225-2123
LEIA TAMBÉM!×