EDIÇÃO 24 » FIQUE POR DENTRO

Mesa Redonda: Opções com A-K Pré-flop


Bryan Devonshire

Um dia desses, nosso herói Chris “homanga” Homan, encontrou-se em uma posição aparentemente padrão com A-K. Isso ocorreu no começo de um torneio semanal de $250.000 garantidos do PokerStars, numa quarta-feira à noite. Esse torneio possui uma estrutura deep stack, com níveis de blinds mais longos e um buy-in de $300 + $20.

Com os blinds em 150-300 e antes de 25, o jogador UTG+1 — “Booster_JJ”, com 12.818 em fichas — abriu raise de 750. A mesa rodou em fold até o button, Eric “Sheets” Haber, que reaumentou para 2.400. O small blind, com 7.787, desistiu, e nosso herói está no big blind com 8.249 e A K.

Com frequência, vejo jogadores se perguntando o que fazer com A-K pré-flop em uma variedade de situações e, geralmente, a resposta é: colocar dinheiro no pote com o máximo de equidade de fold possível. Equidade de fold, ou “fold equity”, é o valor em fichas que temos quando os oponentes desistem diante de nosso aumento. É em geral facilmente quantificável, pois, em X por cento das vezes, eles desistem e nós ganhamos; nesse caso, 2.400 + 750 + 450 + 225, ou 3.825. Portanto, nós estimamos a percentagem das vezes em que eles vão desistir para calcular nossa equidade de fold, e então analisamos nossa mão versus a gama de call deles.

Para determinar a fold equity, primeiro devemos estipular a gama do vilão no momento, depois determinar a gama de call dele. Nesse caso, com o que Sheets estaria triplicando a aposta e com o que ele pagaria nosso empurrão? Finalmente, devemos avaliar a gama de call de Booster_JJ, pois ele ainda está na mão, e eventualmente podemos determinar se empurrar é lucrativo ou não.

Em quase todas as situações, empurrar com A-K offsuit em situações assim é lucrativo. Primeiro, nós em geral temos muita equidade de fold. Segundo, devido principalmente à delimitação de cartas, A-K nunca está muito atrás como gama de call, e em geral está à frente em situações online (onde as pessoas pagam com A-Q e pior). Como padrão, empurrar é correto. De fato, quando essa mão foi postada pela primeira vez em um fórum, quase todas as respostas eram uma piada do tipo “É A-K! Podemos empurrar; vá em frente”.

Contudo, como toda situação no poker é diferente, vamos analisar com mais cuidado essa aqui.

Nós não sabemos nada sobre Booster_JJ. Se formos rápidos, podemos procurar o nome dele em www.officialpokerrankings. com. Nesse site, podemos descobrir se um jogador está ganhando ou perdendo, qual é o buy-in médio dele e quantos torneios jogou. Podemos ver seus resultados recentes, o que pode nos ajudar a determinar algo sobre o raciocínio dele. Por exemplo, um jogador que tenha 68% de ROI (retorno do investimento) ao longo de 1.400 torneios com buy-in médio de $168 vai jogar muito diferente de alguém que tenha um ROI de -42% ao longo de 135 torneios com buy-in médio de $57. A gama de raise de um jogador regular e sólido de high-stakes que está no UTG+1 vai ser diferente da de um jogador perdedor. É preferível enfrentar um oponente fraco, pois ele está mais propenso a cometer erros.

Booster_JJ era um regular vencedor, com ROI de 67% ao longo de 694 torneios com buy-in médio de $199. Como ele era um vencedor regular, e tendo em vista o tamanho dos estoques, podemos presumir a gama de raise de Sheets (supondo que Sheets conheça Booster, como deveria):

1. Não vai ser muito loose. Sheets é o button e quer utilizar sua vantagem de posição. Ele preferiria jogar um pote em posição a reaumentar com uma mão marginal. Ao voltar reraise pré-flop, ele dá ao vilão uma ótima oportunidade de empurrar, devido ao tamanho dos estoques, tirando completamente a van-tagem de posição de Sheets. Portanto, ele não está reaumentando com 6-6, K-Q ou algo do tipo.

2. Ao dar reraise de 2.400, Sheets está se comprometendo com um empurrão de qualquer um dos blinds. Como ele vai ter mais de 2-1 em suas fichas, podemos supor com segurança que Sheets, um jogador online vencedor, vai pagar. Existe sempre uma leve chance de ele dar fold, pois às vezes os jogadores fingem força com o tamanho da aposta, mas em geral esse não é o caso.

Essas são boas notícias e más notícias para nós. A má notícia é que não podemos esperar ganhar esse pote pré-flop. A boa notícia é que, se a gama de reraise dele inclui A-Q, nós nos tornamos leves favoritos e ele paga, então vamos estar à frente e com dinheiro morto, o que sempre é bom.

Por último, podemos usar o histórico e o conhecimento sobre um jogador para nos ajudar a determinar gamas. Eu sei que Sheets respeita aumentos de posição inicial e compreende posição, o que deve ser levado em conta em minha avaliação de sua gama.

Essas situações pré-flop são essencialmente matemáticas. A maioria dos jogadores possui gamas similares em situações similares, e muitas coisas, como empurrar com A-K pré-flop, tornam-se automáticas. Contudo, o “poker” varia de jogador para jogador: a probabilidade condicional introduzida pelo elemento humano vai afetar as gamas.

Portanto, diante de tudo isso, que gama podemos razoavelmente atribuir a Sheets, já que esse é o fator central dessa decisão? AA até QQ e AK, com certeza, embora ele possa simplesmente pagar com algumas dessas mãos para tentar induzir um squeeze de um dos blinds. E AQ? JJ? TT? Nada? Qualquer outra mão? Como ele tem posição, vai pagar com a maioria de suas mãos jogáveis. Como ele está enfrentando um estoque que pode facilmente empurrar, e devido ao tamanho dos estoques dos blinds (que podem facilmente dar um squeeze), ele provavelmente pagaria com TT e JJ também. Diante disso, nós achamos que ele reaumentaria com AQ? Provavelmente não.

Portanto, a gama mais provável de Sheets é AA até QQ e AK — apenas. Eis a tarifa dessa gama: 38,8%. Isso não é nem um pouco bom, e não é uma situação em que queremos colocar nosso dinheiro. Se somarmos AQ à gama, ficamos como favoritos com 51,3%, e incluir JJ nos abaixa para 50,1%.

Nós temos A-K. Eu quero entrar no pote também. Sei que teria feito isso no calor do momento. Mas quando paro para analisar essa mão, é uma situação claramente ruim. Temos muito pouca ou nenhuma equidade de fold. Nós estamos diante de uma gama contra a qual temos 51,3% na melhor das hipóteses. E há um terceiro jogador na mão que esquecemos totalmente, que deu raise do UTG+1, e vai pagar nosso empurrão certa percentagem das vezes. Esse número é maior do que a maioria das pessoas pensa: quão ampla é a gama de raise dele, e que percentagem dessa gama é QQ+ e AK? Obviamente, às vezes ele vai largar QQ ou AK. Eu não o imagino descartando KK aqui.

Análises dos Profissionais

Essa é uma situação em que eu vejo muitos profissionais live simplesmente desistindo, pois eles temem os riscos. Embora Sheets seja provavelmente um jogador relativamente tight, tenho certeza de que ele sabe que pode reaumentar com uma gama ampla em situações assim e levar o pote sem showdown. Por causa disso, AK é basicamente o nuts. Além disso, nós essencialmente temos o estoque perfeito para empurrar nessa circunstência, pois ele não pode pagar a não ser que tenha uma mão premium. Infelizmente, empurrar aqui nos elimina de vez em quando, mas, em média, é uma jogada de grande +EV [valor esperado positivo]. — Jonathan Little


Eu empurro aqui, por duas razões. Não estou preocupado com o que aumentou em posição inicial, pela simples razão de as gamas de abertura serem muito amplas hoje em dia em torneios online com buy-ins mais altos, e o aumento em posição inicial de 2,5 vezes o big blind é o “novo” aumento do button, ao que parece. Estou mais preocupado com o aumento do button, mas ele provavelmente está apenas tomando a iniciativa da mão, já que ele está em posição. Apenas pagar do button com AA e KK também tem sido muito comum ultimamente; portanto, gosto de um empurrão do big blind ainda mais nessa situação, já que a gama do button continua bastante ampla. Então, em suma, acho isso automático para nosso herói. — Jon Friedberg
Em situações assim, raramente sou light. Precisaria haver muitas coisas acontecendo ao mesmo tempo para me fazer reaumentar pouco com esses estoques. Se eu soubesse alguma coisa sobre o big blind, poderia apenas pagar com KK e AA, mas, para ser honesto, acho que isso seria muito transparente. Eu penso sobre com o que eu apenas pagaria aqui exceto AA e KK, e isso é raro. Não consigo pensar em nada. Seja o ideal ou não, eu lhe juro que essa é a realidade. Caso Booster tivesse 16.000 ou talvez mais, as coisas seriam diferentes, é claro.

Então, qual é minha gama para reraise se eu não for light? Eu reaumento e pago com AQ e 88 aqui? Em caso afirmativo, é um empurrão trivial. Se eu viesse a largar AQ, 88 e às vezes 99, provavelmente daria fold. — Eric “Sheets” Haber

Eu acho que todos compartilhamos o raciocínio segundo o qual receber uma mão como A-K no big blind com cerca de 20 big blinds é essencialmente uma situação perfeita. É tão perfeita que o pensamento de desistir provavelmente jamais cruza nossas mentes, mas, em retrospecto, analisando o que parecia uma situação de sonho, eu agora percebo que era um pesadelo. À medida que a ação se desenvolve, o aumento inicial não incomodou tanto: ele significou uma probabilidade mais alta de eu ser pago quando empurrasse do big blind com AK. Tudo muda, contudo, quando Sheets decide reaumentar do button – um empurrão antes trivial se torna um fold trivial. A razão é que o primeiro a ter dado raise, Booster_JJ, tem apenas 40 big blinds, o que torna a gama de aumentos de Sheets muito mais tight, pois é bastante improvável que ele reaumentasse para depois desistir nessa situação. Sendo esse o caso, podemos eliminar muitas mãos da gama de Sheets com as quais ele simplesmente pagaria o aumento de Booster. Mãos como 99, TT, JJ e AQ não sofreriam reraise aqui, pois Sheets teria de pagar. Então, de repente, a gama de Sheets fica polarizada em AK e um par de damas ou melhor, contra os quais AK quase não tem equidade suficiente para empurrar com a expectativa de que Sheets desista. Embora no calor do momento pareça impossível largar AK aqui, o fold na verdade se torna fácil, sabendo que um jogador tão sólido quanto Sheets raramente vai sair da linha. — Chris Homan

No fim das contas nosso herói empurrou, e Sheets tinha AA.

Bryan “Devo” Devonshire tem jogado profissionalmente desde o outono de 2003. Guia expert em natureza selvagem e com uma especialização em rafting, ele começou em um jogo de $2-$5 em Cripple Creek, Colorado, enquanto servia nas Buscas e Resgate. Ele entrou na cena dos torneios em 2006, ficando em segundo lugar em seu primeiro evento da World Series of Poker: até hoje, ganhou mais de $800.000 ao vivo e mais de $380.000 online. Ele pode ser contatado em maverickusc@gmail.




NESTA EDIÇÃO


EDIÇÃO 24

Ano 2 - julho, 2009

ASSINE JÁ! ÍNDICE COMPLETO
FichasNet Garantimos o melhor negócio online na compra e venda de créditos.
RoyalPag - Comprou, jogou, ganhou, sacou!
RoyalPag - Comprou, jogou, ganhou, sacou!
Aumente seu stack agora! Stack fichas
Fichas Nupano - Compra e venda de fichas online
Raise Editora - Os melhores livros de poker do mundo totalmente em português

A CardPlayer Brasil™ é um produto da Raise Editora. © 2007-2019. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização.

Lançada em Julho de 2007, a Card Player Brasil reúne o melhor conteúdo das edições Americana e Européia. Matérias exclusivas sobre o poker no Brasil e na América Latina, time de colunistas nacionais composto pelos jogadores mais renomados do Brasil. A revista é voltada para pessoas conectadas às mais modernas tendências mundiais de comportamento e consumo.

Sede: Rua Stela de Souza, 54 - Sagrada Família - Belo Horizonte/MG - CEP: 31030-490
contato@cardplayer.com.br
31 3225-2123
LEIA TAMBÉM!×