EDIÇÃO 119 » COLUNA INTERNACIONAL

Sobre resultados e Bankroll


Ed Miller
Recebo muitos e-mails de leitores falando sobre meus artigos e livros. A maioria me agradece dizendo que após lerem meus escritos, começam a ganhar. Realmente fico muito agradecido que o que eu escrevo possa ajudar as pessoas, mas tenho muito cuidado ao responder esses tipos de agradecimentos. Infelizmente, muitas das impressões positivas que elas têm são ilusórias.

Um dia, uma semana ou um mês de resultados positivos não significam nada. Há muita variância em no-limit hold’em para poder mensurar como você vem jogando em apenas algumas sessões. Por exemplo, acertar um ou dois flush draws há mais do que o normal explicaria bem porque seus ganhos foram grandes.

Não é apenas incorreto relacionar a leitura de um livro, mesmo que excelente, a sessões lucrativas. Isso pode lhe afetar negativamente de três maneiras. Primeiro, se você lê e ganha, provavelmente você levará o livro mais a sério do que deveria. Segundo, quando uma inevitável sequência de perdas acontece, você não aceita bem e vai procurar respostas que não existem. Terceiro, a importância do trabalha necessário para melhorar no poker é banalizada — e esse último ponto merece um parágrafo especial.

No poker, há duas métricas que determinam como o longo prazo será. A primeira é a expectativa de ganhar ou perder. A segunda, a variância. Quando olhamos um gráfico de resultados, muito do que vemos é variância. A linha vai para cima e para baixo, ferozmente, de tempos em tempos. Enquanto quantificar a variância é muito importante para traders e apostadores, para o jogador de poker padrão que tenta perceber o quão bom ele é, a variância representa ruído. Quanto mais variância, mais ruído. 

A expectativa, no entanto, representa a tendência dos seus resultados. Quanto maior o período, mais fidedigno será o gráfico. Ele se inclina para cima ou para baixo com o tempo? Para saber se um jogador é bom ou não, devemos observar essa inclinação. Ainda que sutil, é isso que vai separar perdedores de ganhadores.

Se você não compreender isso, aquela subida no seu gráfico pode leva-lo a pensar que uma rápida leitura lhe colocou onde você queria. Mas garanto que gastar algumas horas lendo dois ou três livros não lhe fará substancialmente melhor no poker.  Leitura é apenas uma parte do aprendizado, importante, sim, mas apenas uma parte.



Você não pode ler os cinco primeiros capítulos de um livro sobre cirurgia de joelho e logo em seguida operar um paciente. Em suas devidas proporções, com o poker é a mesma coisa. Você precisa ler, praticar, ler de novo, praticar e ler de novo. Esse é o processo que lhe fará melhor.

Dito isso, uma coisa sempre me pareceu estranha. Raramente, as pessoas me escrevem dizendo que perderam após ler meus livros ou artigos. Assim como existem pessoas que têm experiências maravilhosas após os lerem, muitas também perderão. Mas por que elas não reclamam? Provavelmente por culparem a si próprias por suas perdas: “Ah, eu devo ter aplicado ou entendido algum conceito errado”. Mas lembrem-se: assim como as vitórias, as perdas em um curto período não significam nada.

Livros são um começo, mas o que definirá seus resultados serão os esforços que você colocará em seus estudos no longo prazo. E se você conseguir bons resultados, não precisa dividir o crédito. Você terá merecido.

A armadilha do bankroll para jogos ao vivo

Outros questionamentos bem comuns que recebo são: “$X de bankroll é dinheiro suficiente para jogar $1-$2”? Sinceramente, eu não recomento que você sequer pense em bankroll até que esteja jogando $2-$5 ou $5-$10 regularmente. Vou explicar o porquê.

Se um jogador é perdedor, não há bankroll suficiente para sustentá-lo. Perdedores têm um gráfico descendente. Mesmo que haja variações para cima, eventualmente, eles perderão todo o dinheiro que separaram para jogar poker.

A ideia de uma certa quantidade dinheiro ser o bastante para jogar $1-$2 é uma falácia. Isso não existe. Você só deve pensar nisso quando tem uma taxa de ganhos regular — e isso nos leva ao próximo ponto. Se sua taxa de ganhos é pequena, a quantidade dinheiro que seria matematicamente “o bastante” é certamente muito maior do que o “X” que você enviou para mim na pergunta ali em cima. Isso porque ninguém me pergunta se $50 mil é o bastante para jogar $1-$2. As pessoas sempre querem saber se $2.000 ou $4.000 já basta. Na verdade, a única maneira de sua pergunta sobre quanto é o bastante para jogar o $1-$2 é tendo ganhos regulares bem grandes. E se você ganha muito, certamente, você sabe. Não haverá perguntas martelando na sua cabeça, pelo menos não na maior parte do tempo.

Você saberá que você é ótimo em seus limites. Que é melhor do que a maioria que está jogando ali. E, sim, você vencerá. Não, nem todas as vezes. Nem todas as semanas. Mas grandes jogadores vencem no poker ao vivo (online é uma história completamente diferente). Então, sim, nesse caso, $4.000 pode ser mais do que o bastante — mas esse jogador não me faria tal pergunta, porque provavelmente ele já estaria lucrando $8 mil ou mais. Então, minha resposta é não. Você não tem bankrollo suficiente para jogar $1-$2. E é isso, você provavelmente não deve largar seu emprego e mudar de cidade para jogar todo dia.

Jogue com o que você tem. Trabalhe para se tornar um jogador melhor. Aí sim, um dia, você estará em um estágio em que preocupar-se com bannkroll fará sentido.


NESTA EDIÇÃO



A CardPlayer Brasil™ é um produto da Raise Editora. © 2007-2019. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização.

Lançada em Julho de 2007, a Card Player Brasil reúne o melhor conteúdo das edições Americana e Européia. Matérias exclusivas sobre o poker no Brasil e na América Latina, time de colunistas nacionais composto pelos jogadores mais renomados do Brasil. A revista é voltada para pessoas conectadas às mais modernas tendências mundiais de comportamento e consumo.

Sede: Rua Stela de Souza, 54 - Sagrada Família - Belo Horizonte/MG - CEP: 31030-490
contato@cardplayer.com.br
31 3225-2123
LEIA TAMBÉM!×