EDIÇÃO 105 » MISCELÂNEA

Hand for Hand

Phil Ivey x Dario Sammartino


Kelvin Kerber
O goiano Kelvin Kerber fala sobre um embate entre o italiano Dario Sammartino e a lenda do poker Phil Ivey. Os dois se enfrentaram no torneio de 100 mil dólares do Aussie Millions de 2015.



PHIL IVEY X DARIO SAMMARTINO ($100K CHALLENGE DO AUSSIE MILLIONS 2016) 

Phil Ivey – 169.000 fichas (1010)
Dario Sammartino – 171.000 fichas (J9)
Blinds: 700/1.400 com antes de 200

PRÉ-FLOP

Phil Ivey aumenta para 3.200 do button (BTN). Dario dá call no big blind (BB).

KELVIN: A mão começa com ambos os jogadores tendo mais de 100 big blinds. Phil Ivey abre do BTN e Sammartino defende o BB com J9s. Tudo bem básico até aqui.

FLOP 1038 (Pote: 8.300)

Sammartino pede mesa. Ivey aposta 4.000. Sammartino aumenta para 13.000. Ivey paga.

KELVIN: O flop vem todo em copas, com duas pontas para Dario. É um flop razoável, mas bem perigoso, já que ele joga pela Dama e pelo Sete, desde que não sejam de copas. Não necessariamente Ivey terá uma carta de copas, mas vamos supor que venha uma Q no turn ou no river. Mesmo que Dario tenha a melhor mão, ele não tem como tirar valor dela, ao mesmo tempo, ele ainda pode ser blefado pelo Ivey, que tem posição sobre ele.

Ivey faz uma continuation bet (c-bet) de menos da metade do pote. Em um cenário em que ambos têm mais de 100 big blinds é uma c-bet bem pequena. De forma geral, em um board como esse, isso parece fraqueza. Na teoria, com mais de 100 bbs, Ivey apostaria mais todas as suas mãos de valor e com equidade, já pensando em apostar no turn — ou seja, essa aposta parece realmente uma c-bet normal, apenas para fazer Dario largar as mãos que erraram completamente com o bordo. Para mim, esse tamanho de aposta só faria sentido com o nut flush, uma vez que que turn e river não ofereceriam perigo a ele. Conhecendo o Sammartino (ambos jogam os torneios mais caros do mundo), vale a pena abdicar de um pouco de valor para enfraquecer o próprio range, o que daria espaço para o Sammartino usar uma de suas conhecidas características, o blefe.

TURN: 7 (Pote: 34.300)

Sammartino aposta 18.000. Ivey paga.

KELVIN: No turn, Sammartino completa sua sequência e, agora, a decisão basicamente é de fazer mais duas apostar (turn e river), desde que não venha uma quarta carta de copas; Ao apostar no turn, ele dá espaço para Ivey continuar com todas as combinações que tenham o A, mas caso ele opte por dar mesa, a intenção é deixar que o Ivey blefe essas combinações.

Sammartino resolve apostar cerca de meio pote, o que é uma aposta relativamente baixa, levando em consideração quantos o tamanho do stack de cada um.

RIVER: 7 (Pote: 70.300)

Sammartino pede mesa. Ivey vai all-in de 135.000.

KELVIN: No river, Dario pede mesa relativamente rápido, seguindo provavelmente o plano do turn: dar call na aposta do Ivey. Imagino que, se ele não estivesse planejando pagar a aposta no river quando o bordo dobrasse, ele apostaria mais alto o turn.

O problema para Dario é que Ivey faz o inimaginável: all-in! Essa aposta realmente coloca-o em uma posição muito difícil. Agora, temos que analisar qual a parte de valor do range de Phil Ivey que joga dessa maneira.

Se ele tem o flush nuts, eu não acho que ele vá all-in, porque é difícil pensar em uma mão pior que pague no river. Assim, em seu range de valor estão basicamente fulls — na maioria das vezes, mãos que trincaram no flop. Geralmente, não acredito que Ivey fará uma c-bet tão pequena com as trincas, talvez, com a trinca de Dez isso faça mais sentido, já que, naturalmente, ele acaba bloqueando uma parte grande das mãos que Sammartino acerta o flop e continuam na mão. Eu não conheço o Ivey tão bem para afirmar algo a respeito dos seus tamanhos de apostas, então, por mais que eu ache improvável, também não descarto.

Agora, quais mãos que vão all-in no river e que a sequência do Sammartino vence? Blefes. Mas quais os blefes o Ivey joga assim? Na teoria, as mãos que blefam o river não precisam ir all-in, já que o range do Italiano está bem polarizado quando ele dá raise no flop e aposta no turn. Logo, qualquer aposta pequena seria suficiente para fazê-lo dar fold em um A ou em alguma combinação de Q-J, sendo a Dama ou Valete de copas.

Sammartino paga. Phil Ivey mostra um full house e puxa um pote de 340.000 fichas.

KELVIN: O que provavelmente levou o Sammartino ao call foi o fato do mesmo fazer muito isso blefando. Ele é conhecido como um cara que coloca seus oponentes em situações muito difíceis. No PCA deste ano, eu estava presente quando na bolha do high roller de 25k, em um bordo T66 3 Q, ele foi all-in de quatro vezes o tamanho do pote, com 4-2, e viu seu oponente largar um 6. O grande problema para ele, aqui, é que por mais que ele faça isso com alguma frequência, as pessoas de forma geral não fazem. Imagino que ele tenha se perdido dentro dos próprios pensamentos e cometeu o erro de dar call.


Kelvin Kerber tem mais de US$ 2 milhões em prêmios na internet, já venceu uma etapa do BSOP e é fundador do Samba Team, um dos principais times de poker do Brasil.




NESTA EDIÇÃO


EDIÇÃO 105

Ano 9 - abril, 2016

ASSINE JÁ! ÍNDICE COMPLETO
FichasNet Garantimos o melhor negócio online na compra e venda de créditos.
Fichas Nupano - Compra e venda de fichas online
Aumente seu stack agora! Stack fichas
Raise Editora

NEWSLETTER

Receba nossas novidades em seu e-mail.

Astropay

A CardPlayer Brasil™ é um produto da Raise Editora. © 2007-2018. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização.

Lançada em Julho de 2007, a Card Player Brasil reúne o melhor conteúdo das edições Americana e Européia. Matérias exclusivas sobre o poker no Brasil e na América Latina, time de colunistas nacionais composto pelos jogadores mais renomados do Brasil. A revista é voltada para pessoas conectadas às mais modernas tendências mundiais de comportamento e consumo.

Sede: Rua Stela de Souza, 54 - Sagrada Família - Belo Horizonte/MG - CEP: 31030-490
contato@cardplayer.com.br
31 3225-2123
LEIA TAMBÉM!×