EDIÇÃO 9 » ESTRATÉGIAS E ANÁLISES

Pot-Limit Omaha: O Futuro se Aproxima

Uma apresentação


Jeff Hwang

Como estou iniciando a coluna “On The Draw”, acho que devo me apresentar e lhes dizer qual o tema da mesma. Alguns de vocês podem me conhecer por meu trabalho como analista de investimentos, escrevendo sobre investimentos em geral e ações da indústria de jogos, em particular para a Motley Fool em Fool.com; outros estão mais familiarizados com meu livro Pot-Limit Omaha Poker: The Big Play Strategy, que foi publicado no começo do ano. Dito isso, o foco primário desta coluna será o pot-limit Omaha (PLO), que pode muito bem ser a variante que mais cresce no poker, representando a próxima tendência do jogo.

Apenas para lhes dar uma idéia do que será abordado neste espaço, eis uma lista de tópicos prováveis, alguns dos quais podem já ser familiares para quem leu o livro:
• O Nut Straight Freeroll
• Dominando Draws
• O Miraculoso Teste do Flop
• O Poder do Big Draw
• Ajustes Para Partidas com Poucos Participantes
• Quando o Pote já Estiver Grande

Eu também irei falar um pouco sobre limit e pot-limit Omaha eight-or-better, modalidades que também são abordadas profundamente no livro.

Enquanto isso, devido a minha experiência como um escritor de investimentos, também fui chamado a falar um pouco sobre gerenciamento de bankroll. E, em relação a essa área, meu objetivo é encorajar jogadores de poker a pensar no longo prazo e abordar o jogo como investidores e não como apostadores.

Esclarecido isso, falarei um pouco sobre o crescimento do PLO e por que o futuro se aproxima. E depois apresentarei a estratégia contida no “The Big Play”.

O Crescimento do Pot-Limit Omaha
Jogadores de poker ao longo do Centro-Oeste e Sul consideram PLO o jogo de poker de maiores apostas em cada cassino em que é jogado. A razão é simples: como cada jogador recebe quatro cartas em vez de duas, como ocorre no hold’em, os draws são tão mais fortes que um straight draw de 13 cartas é o padrão, e straight draws de 17 ou 20 cartas são possíveis; adicione a isso um possível flush draw, e você tem quedas monstruosas que podem ser favoritas mesmo diante de uma trinca. Como resultado, a linha entre uma “mão pronta” e um draw é tênue, e all-ins entre múltiplos jogadores que acreditam merecer o pote ocorrem com bem mais freqüência do que no hold’em.

A ação natural gerada em mesas de Omaha atrai apostadores ativos, que por sua vez atraem os tubarões.

Há uma desvantagem: até recentemente, PLO era jogado apenas com limites altos, geralmente com blinds de $5-$10-$25 e às vezes maior. Mas com a popularidade e maturação dos limites mais baixos, blinds de $1-$2 e $2-$5 em no-limit hold’em, muitos jogadores de poker fizeram a transição natural para PLO. E, como resultado, mesas de PLO com limites menores estão se proliferando. Além disso, partidas mistas de no-limit hold’em e PLO ou PLO high e PLO eight-or-better também estão se tornando incrivelmente comuns.

Em resumo, o maior jogo da cidade se tornou mais acessível para o jogador mediando. E não apenas o PLO está se tornando um jogo muito grande para ser ignorado, como a atração natural de apostadores para o Omaha os torna muito suculentos para serem ignorados.

Omaha: Jogo do Futuro?
Foi nos anos 80 que começaram a chamar o Omaha de o jogo do futuro, sugerindo que essa variante um dia dominaria as card rooms. Isso foi antes do meu tempo. Mas, claramente, ainda não aconteceu, pois as mesas de Omaha representam atualmente apenas uma fração de todos os jogos de poker na América. Será que eles estavam errados? Não necessariamente.

O fato de o Omaha ainda não ter dominado a paisagem do poker é possivelmente a razão principal por que os céticos contrariam a afirmação de que esse seja realmente o “jogo do futuro”. Mas eles estão olhando sob uma ótica equivocada. A verdade não é que o Omaha tenha se estagnado em popularidade desde então, mas que a popularidade do hold’em decolou.

Eu não espero que o Omaha substitua o hold’em. A verdade é que o hold’em é um jogo muito mais fácil de ser aprendido (“leva minutos para se aprender”) do que o Omaha, e é muito mais atraente como programação de TV. Ao longo do tempo, eu suspeito que o hold’em continuará a ser a primeira modalidade que novos jogadores irão aprender. Mas esse é o ponto chave: o que temos visto não tem sido muito uma “explosão do poker” mais do que uma “explosão do hold’em”.

O que irá acontecer — e já está acontecendo nesse instante — é que o mercado da nova geração de jogadores de hold’em (inclusive eu) continua a amadurecer, e mais e mais jogadores vão querer tentar outras variantes. Afinal, você pode jogar hold’em apenas até certo limite. E o beneficiário natural disso tudo são as mesas de Omaha, pois são relativamente fáceis de aprender quando se vem do hold’em, geram muita ação, e são atraentes para jogadores de poker por todas as razões pelas quais as pessoas jogam com cartas insanas em suas partidas: as pessoas gostam de mãos grandes e de maiores possibilidades.

Além disso, as condições para facilitar o crescimento do PLO existem, algo que não acontecia há cinco anos:

1. A proliferação do poker de limites baixos e grandes apostas. Faz apenas alguns anos, todo mundo jogava limit poker de $5-$10, mas, hoje em dia, todos os novatos jogam no-limit hold’em de $1-$2 e $2-$5. Eles não temem perder todo seu stack numa única mão, o que é um pré-requisito para se jogar PLO.

2. Poker online. Esse fator foi um pouco ferido ano passado, mas a possibilidade de se jogar online com limites de meros centavos significa que os jogadores podem tentar novas modalidades por um baixo custo. Enquanto isso, os jogadores também podem ganhar montantes significativos de experiência de jogo em um período de tempo relativamente curto.

3. Mesas de poker eletrônicas. Esse aspecto, eu creio, tem sido completamente desprezado, principalmente porque o mercado para jogos de PLO ainda não se desenvolveu. Mas um dos atributos chave dos jogos eletrônicos em geral é a possibilidade de um cassino poder oferecer jogos lucrativos com limites baixos. Então, embora seja inviável para um cassino oferecer uma partida de PLO de $1-$1, isso é possível em uma mesa de poker eletrônica. Além disso, a máquina é capaz de distribuir as cartas mais depressa e de decidir como apostar e aumentar o tamanho do pote — um tema um pouco intimidador, especialmente para novos jogadores. À medida que companhias como PokerTek (Nasdaq: PTEK), fabricante da mesa de poker eletrônica Poker Pro, e da Lightning Poker continuarem a penetrar no mercado de jogos, a mesa (eletrônica) vai se firmar.

4. Um mercado maduro. Eu já disse isso agora há pouco: Omaha é uma variante que requer certo conhecimento de poker para ser jogada. Isso no sentido de que qualquer um que assista TV possa jogar hold’em — Omaha é o jogo dos carinhas descolados — bem como de que o mercado para jogadores de Omaha tem sido um pouco limitado até hoje. Isso está começando a mudar.

Apresentando a estratégia do “The Big Play” para PLO
O objetivo central do pot-limit Omaha é ganhar o stack inteiro de seu oponente. Dito isso, considerando que o jogador mediano encara o PLO como um jogo de pequenas vantagens, nada poderia estar mais longe da verdade.

O fato é que há uma variedade de situações comuns de grandes potes na quais não apenas um jogador esmaga o outro, como também, em alguns casos, ocorre um freeroll total. Nosso objetivo é ser aquele que está na extremidade dominante quando o grande poker é disputado: isso envolve primeiramente o reconhecimento das situações de grandes potes, e então a identificação das mãos que têm o potencial de nos colocar em vantagem nessas situações. E jogar apenas com as mãos capazes de ganhar os grandes potes.

Esta é a estratégia de grande jogada.

Tudo começa antes do flop. Embora poucas mãos no Omaha tenham favoritismo maior do que 2-1 em relação a qualquer outra antes do flop, isso é bastante diferente depois do flop. Todo mundo sabe que A-A-K-K de dois naipes e A-A-J-10 de dois naipes são as melhores mãos do PLO, e que quatro cartas conexas como J-10-9-8 de dois naipes é uma boa mão. Mas o que mais pode ser utilizado e por quê? Por que Q-J-10-7 de um único naipe é normalmente decente, mas Q-9-8-7 de dois naipes não é? Por que A882 é decente, mas Q992 beira o lixo? Por que uma mão como 7-6-5-2 de um único naipe tem muito mais força do que uma mão como K-5-2-2 de dois naipes?

A verdade é que — num jogo em que os grandes potes tendem a girar em torno de straight draws — existe uma vasta disparidade entre as mãos capazes de dominar os grandes potes quando você acerta o flop com força e aquelas que têm mais chances de ganhar um pequeno pote ou perder um grande. Eu irei lhe mostrar a diferença.

Na próxima edição, iniciaremos um olhar sobre Nut Straight Freeroll.

Jeff Hwang é um jogador semi-profissional e autor do recém-lançado Pot-Limit Omaha: The Big Play Strategy. Jeff é também um analista de investimentos que escreve sobre ações de cassinos para a Motley Fool em Fool.com.Visite o website de Jeff no endereço jeffhwang.com




NESTA EDIÇÃO


EDIÇÃO 9

Ano 1 - abril, 2008

ASSINE JÁ! ÍNDICE COMPLETO
FichasNet Garantimos o melhor negócio online na compra e venda de créditos.
RoyalPag - Comprou, jogou, ganhou, sacou!
RoyalPag - Comprou, jogou, ganhou, sacou!
Aumente seu stack agora! Stack fichas
Fichas Nupano - Compra e venda de fichas online
Raise Editora - Os melhores livros de poker do mundo totalmente em português

A CardPlayer Brasil™ é um produto da Raise Editora. © 2007-2019. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização.

Lançada em Julho de 2007, a Card Player Brasil reúne o melhor conteúdo das edições Americana e Européia. Matérias exclusivas sobre o poker no Brasil e na América Latina, time de colunistas nacionais composto pelos jogadores mais renomados do Brasil. A revista é voltada para pessoas conectadas às mais modernas tendências mundiais de comportamento e consumo.

Sede: Rua Stela de Souza, 54 - Sagrada Família - Belo Horizonte/MG - CEP: 31030-490
contato@cardplayer.com.br
31 3225-2123
LEIA TAMBÉM!×