EDIÇÃO 67 » ESTRATÉGIAS E ANÁLISES

Onde Estou?

Dar raise para proteger sua mão é um erro


Dusty Schmidt

Uma das frases que você mais vai ouvir em uma sala de poker é: “Não deixe que eles acertem o draw. Você tem que dar raise para proteger a sua mão”. O conceito de “proteger a mão” veio originalmente do limit poker, em que o preço das apostas é pequeno quando comparado com o custo de perder um pote. De qualquer maneira, em algum lugar na história do poker, esse conceito passou para o no-limit.

Ao contrário do senso comum, você não precisa dar raise para saber onde se encontra na mão. Na verdade, posso assegurar que dar raise para proteger a sua mão, quando você está jogando no-limit hold’em, é um erro.

Veja um bom exemplo de uma mesa de NL100 (blinds: $0.5/$1):

Todos dão fold até o small blind (SB), que abre raise para $3. O big blind (BB) reaumenta para $10, o SB paga com seu par de Quatros e os dois veem o flop 8 5 2. O SB dá check-raise para $37, depois da aposta de $13 do BB.

Perguntado por que ele reaumentou, o SB respondeu: “Eu queria proteger a minha mão e descobrir onde eu estava”.



A verdade é que a jogada é muito ruim. Antes de colocar um terço do seu stack no centro da mesa, pense no tipo de informação que você descobrirá. Caso o oponente dê fold, você perceberá que tinha a melhor mão. Valeu à pena? Se ele aumentar novamente, você verá que tem a pior mão... ou não.

É preciso se lembrar disso: só por que ele reaumentou sua aposta, depois do flop, não quer dizer que ele tenha uma mão que o vença. Nessa situação, muitos oponentes podem empurrar com semiblefes – como 6-7, um flush draw de copas ou até duas overcards quaisquer como A-K. Ou seja, um check-raise no flop não irá dizer “onde você está”. Se você está fazendo uma pergunta com um raise, não espere uma resposta honesta. Isso é poker, não “Go Fish” [jogo de cartas, muito popular nos EUA, em que você tem que fazer perguntas para seus adversários].

Pagar o all-in seria quase tão ruim quanto o check-raise, mas pelo menos faria a primeira jogada ter sentido. Só há razão para fazer isso se seu oponente for tão agressivo que, quando todas as fichas estiverem no pote, você ainda estará à frente do range de mãos do adversário. Mas lembre-se que estar à frente do range de bet (aposta) do seu oponente é diferente de estar à frente do range de shove (all-in).
Então, qual a melhor jogada no flop? Bem, dar apenas call é uma opção, desde que uma das seguintes possibilidades seja verdadeira:

Seu oponente é extremamente passivo e previsível, e nunca irá apostar no turn, a menos que tenha um jogo muito forte.

Nesse caso, você pode dar call no flop e ir para o showdown sem gastar mais nada, tendo provavelmente a melhor mão. Quando ele apostar no turn, você pode desistir sem pesares. Sabendo que, nas duas últimas cartas, geralmente, seu oponente só melhorará o jogo dele perto de 25% das vezes, você dificilmente acabará largando a melhor mão contra esse tipo de jogador passivo.

Seu oponente é extremamente agressivo, e vai atirar no flop, no turn e no river, não importando quais cartas estiver segurando.

Contra um jogador que tem mais blefes do que valor em seu range, você pode dar call em todas as suas apostas, deixando que ele blefe todo o seu stack – isso em um cenário perfeito, o que não ocorre com frequência.



A verdade é que você irá dar fold muitas vezes quando tiver equidade para o call ou pagar um valor alto demais para ir até o showdown. Não estou falando que você gastará muito dinheiro, mas o problema é que o preço “não será justo”. Se há $20 no pote depois do flop, com ambos os jogadores tendo $90 restando em seus stacks, você terá que vencer quase metade das vezes* para justificar o seu call até o river. Mas isso simplesmente não vai acontecer se o seu oponente é cauteloso ao blefar ou ao apostar em todas as streets.

Sua outra opção seria dar call no flop e desistir no turn ou no river – mas, ao fazer isso, a mão não irá para o showdown, portanto, não valeria à pena nem o primeiro call, já que seu único valor é o de showdown.
Então, qual é a resposta? Fold.

Contra a maioria dos oponentes, o correto é dar fold antes do flop. Você errará o flop 7.5 vezes a cada 8.5 mãos e, geralmente, dará check-fold quando isso acontecer. Dificilmente, as odds serão boas o suficiente para jogar par de Quatros fora de posição. Contra alguém cujo range é muito forte, o call na 3-bet, por set-value (para trincar), é aceitável. Já contra um jogador que irá dar fold para uma 4-bet com grande parte do seu range, um novo reaumento é uma boa opção. Mas esses são casos específicos. Normalmente, o melhor a fazer é dar fold.

A história já provou que bons jogadores de no-limit hold’em largam a melhor mão, e com frequência – e isso custa menos do que tentar “saber onde você está”.

*90/(20+90+90) = 0.45, ou 45%




NESTA EDIÇÃO


EDIÇÃO 67

Ano 6 - fevereiro, 2013

ASSINE JÁ! ÍNDICE COMPLETO
FichasNet Garantimos o melhor negócio online na compra e venda de créditos.
Vem aí o WPT Uruguai no Enjoy Punta del Este!
Aumente seu stack agora! Stack fichas

NEWSLETTER

Receba nossas novidades em seu e-mail.

Fichas Nupano - Compra e venda de fichas online

A CardPlayer Brasil™ é um produto da Raise Editora. © 2007-2017. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização.

Lançada em Julho de 2007, a Card Player Brasil reúne o melhor conteúdo das edições Americana e Européia. Matérias exclusivas sobre o poker no Brasil e na América Latina, time de colunistas nacionais composto pelos jogadores mais renomados do Brasil. A revista é voltada para pessoas conectadas às mais modernas tendências mundiais de comportamento e consumo.

Sede: Rua Stela de Souza, 54 - Sagrada Família - Belo Horizonte/MG - CEP: 31030-490
contato@cardplayer.com.br
31 3225-2123
LEIA TAMBÉM!×