EDIÇÃO 22 » COLUNA INTERNACIONAL

Short-Stack fazendo Slowplay?

Uma jogada avançada


Phil Hellmuth

No final de fevereiro, fui para L.A. para jogar o LAPC (Los Angeles Poker Classic) com buy-in de $10.000 válido pelo WPT. Esse torneio acontece no Commerce Casino, e dura seis dias.

Ano passado, tivemos uma das melhores mesas finais da história do World Poker Tour, com Phil Ivey (campeão), Quinn Do (segundo), Nam Le (quarto), Scott Montgomery (quinto) e eu (sexto). Eu tinha uma massiva liderança em fichas na mesa final, mas não consegui convertê-la em vitória.

Este ano, passei do Dia 1 sem muitos riscos, mas no Dia 2, com os blinds em 300-600 e ante de 75, eu me encontrei com apenas 6.400 em fichas quando olhei para baixo e vi KQ. Eu estava em posição inicial e tinha três opções: ir all-in com 6.400, aumentar para 1.800 ou entrar de limp. Largar não era uma opção. Atualmente, a “jogada padrão” é ir all-in com essa mão — com cerca de 10 vezes o big blind em fichas — e a maior parte do mundo gosta dessa jogada. As vantagens de ir all-in são que você pode forçar alguém a desistir de uma mão como A-T ou um par pequeno e, portanto, coletar os antes e os blinds (1.575), aumentando seu estoque em cerca de 20%. Mesmo que alguém pague com T-T, você é apenas levemente não-favorito a ganhar o pote. Obviamente, se alguém que fale depois tiver A-K, você está em apuros.

A opção número dois é executar um raise padrão de três vezes o big blind. Essa escolha não é boa, mas lhe dá a chance de largar sua mão se sofrer um reraise, o que lhe dá a chance de economizar seus últimos 4.600. Mas, realisticamente, com que freqüência você vai desistir de K Q por 4.600 a mais quando o pote já contém quase 8.500? Eu não recomendaria esse fold a um jogador amador ou intermediário. Além disso, não recomendaria aumentar para 1.800 a não ser que você tenha habilidades de leitura incríveis, e possa pagar o aumento de 4.600 toda vez, exceto quando seu oponente segure A-A, K-K, Q-Q, A-K ou A-Q. E essa é uma leitura difícil de fazer até mesmo para um grande profissional!

A opção número três, apenas pagar 600 pré-flop, também lhe dá alguma flexibilidade, mas eu não a recomendo para um jogador amador ou intermediário. Trata-s de uma jogada avançada que até mesmo a maioria dos grandes profissionais não deve fazer.

Basicamente, quando eu entro de limp aqui, estou tentando armar contra alguém depois de mim — tanto antes do flop quanto no flop — com a opção de economizar a maioria de minhas fichas caso me depare com alguém segurando uma mão que me derrote. Apenas pagar 600 é uma coisa complicada de se fazer, e envolve uma habilidade: leitura, leitura e leitura. Antes do flop, você deve estar pronto para ir all-in quando alguém aumentar com uma mão pior (leitura), dar fold quando alguém depois de você aumentar e tiver uma mão que lhe domine (leitura) ou pagar ou ir all-in quando alguém depois de você aumentar com um par pequeno ou médio (leitura).

E então você deve estar preparado para jogar sua mão da maneira correta no flop. Isso envolve fazer slowplay se você flopar uma mão enorme ou acelerar se você flopar uma mão enorme, dependendo da textura do bordo e de sua leitura a respeito da força e habilidade de desistir de seu oponente; descartar quando você flopar top pair ou segundo par ou ir all-in se flopar top pair ou segundo par, mais uma vez depende do bordo e de sua leitura do oponente; blefar ou reblefar ou desistir quando você não flopar nada; e ir all-in, apostar ou pedir mesa quando você flopar um draw. Uma coisa é certa: você tem opções aos montes quando entra de limp com 600, mas é melhor que tenha experiência suficiente para encontrar a opção certa para a situação certa!

Eu entrei de limp, outro jogador entrou de limp depois de mim, e o flop veio 10 7 3. Eu tinha flopado um flush, e agora estava feliz por ter entrado de limp, pois isso me deu uma chance de ganhar um pote maior se mais alguém tivesse flopado alguma coisa. Quatro de nós pedimos mesa, e a carta do turn foi o 2. Eu odiei aquela carta, não porque fiquei preocupado em ser derrotado — alguém precisaria ter o A para me derrotar — mas porque parecia que eu ia ganhar menos dinheiro agora. Os jogadores nos blinds ambos pediram mesa até mim, e eu pedi mesa. Agora, o cara atrás de mim apostou 2.000, e o jogador no small blind pagou. Nesse momento, eu estava lambendo os beiços! O big blind deu fold, e eu aumentei para 5.000. Ambos os oponentes rapidamente largaram, e eu ganhei um pote decente. Aliás, se eu tivesse ido all-in pré-flop, teria ganhado 1.575, mas meu limp me deu mais 4.900! Novamente, eu não recomendaria o pagamento de 600 para ninguém que não fosse um grande profissional, mas ele funcionou muito bem para mim, pelo menos dessa vez.




NESTA EDIÇÃO


EDIÇÃO 22

Ano 2 - maio, 2009

ASSINE JÁ! ÍNDICE COMPLETO
FichasNet Garantimos o melhor negócio online na compra e venda de créditos.
RoyalPag - Comprou, jogou, ganhou, sacou!
Aposte agora no SportsBet.io
Aumente seu stack agora! Stack fichas
Fichas Nupano - Compra e venda de fichas online
Astropay

A CardPlayer Brasil™ é um produto da Raise Editora. © 2007-2018. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização.

Lançada em Julho de 2007, a Card Player Brasil reúne o melhor conteúdo das edições Americana e Européia. Matérias exclusivas sobre o poker no Brasil e na América Latina, time de colunistas nacionais composto pelos jogadores mais renomados do Brasil. A revista é voltada para pessoas conectadas às mais modernas tendências mundiais de comportamento e consumo.

Sede: Rua Stela de Souza, 54 - Sagrada Família - Belo Horizonte/MG - CEP: 31030-490
contato@cardplayer.com.br
31 3225-2123
LEIA TAMBÉM!×