EDIÇÃO 118 » ESPECIAIS

Supervalorizando um bom jogo

Um erro que muitos amadores cometem


Jonathan Little
Recentemente, vi uma jogada em um aplicativo de compartilhamento de mãos (ShareMyPair) que demonstra um erro que muitos amadores cometem — e a consequência no longo prazo é uma perda significante de equidade.

Em um cash game de $5-$10, todos deram fold até o Hero. Do button (BTN), com JJ, ele aumentou para $20 dos $800 de seu stack efetivo. Apenas o big blind (BB), um jogador com algumas linhas estranhas, mas competente, pagou.

Primeiramente, eu teria aumentado um pouco mais, algo entre $25 e $30, mas o mini-raise é aceitável. Quando jogamos com stacks abaixo de 50 blinds, geralmente é bom fazer um aumento entre 2,5 e 3 big blinds, assim, se temos uma mão muito forte, é mais fácil colocar todo o stack no centro até o river. Quando você faz um mini-raise, a menos que suas apostas sejam muito grandes, é difícil que consiga ir all-in até a última street.

O flop veio J33, dando ao Hero um full house. O BB pediu mesa, assim como o Hero. 

Eu apostaria $20 no pote de $45. Mesmo que seja difícil que o BB tenha acertado alguma coisa, essa é uma situação em que a maioria dos jogadores, ao se depararem com uma aposta pequena, vai continuar na mão com um range bem amplo. Mesmo que o BB tenha algo como 87, dificilmente ele melhorará sua mão a ponto de pagar uma aposta no turn e no river. Assim, o Hero deveria apostar no flop para ser pago por K-high ou algo melhor. Acho que uma aposta ainda menor, $10 ou $15 também seria boa.

Apostar alto não faz sentido porque o BB começar a dar fold com mãos que tenha um Rei ou um Ás, o que compõe boa parte do range do qual o Hero quer extrair valor. Ao apostar, o Hero também dá a chance do BB fazer um check-raise blefando, já que o bordo é bem seco. Ele poderia blefar o turn? Sim. Mas para o Hero inflar o pote logo no flop é muito melhor. Mas se você sabe que seu adversário sempre vai atacar no turn quando você não fizer um continuatio-bet, então pedir mesa também tem seus méritos.



O turn foi um 3. O BB apostou $20 no pote de $45, e o Hero reaumentou para $80.

Eu não gosto desse raise. Além de ser bem difícil que o SB tenha uma mão que vença o Hero, ele dificilmente irá pagar um raise, a menos que ele tenha um Valete ou algo melhor. Levando em conta que o Hero tem dois Valetes na mão, a frequência com que o BB terá o último Valete é bem pequena. A não ser que o BB seja um maluco que vá pagar suas apostar no turn e river com apenas um Ás, um Rei ou um par menor, dar call no turn, para induzir um blefe no river ou conseguir um pouco de valor de uma mão pior, é a definitivamente a melhor jogada. Sempre tome seu tempo para pensar sobre o range do qual você está tentando extrair valor. Com certeza, o Hero não fez isso. Se ele tivesse feito, ele perceberia que pouquíssimas mãos iriam dar call em seu raise.

O BB fez um 3-bet para $200, e o Hero foi all-in.

Quando o BB faz um 3-bet, seu range fica polarizado entre Valete ou melhor ou um blefe. Se ele está blefando, o Hero deveria apenas dar call e mantê-lo no pote. Se ele tem um Valete ou algo melhor, o Hero fica em posição ruim, já que o range de valor do BB nesta situação é um full com Valetes ou uma quadra. Mesmo que o range do BB tenha mais Valetes que Três, o fato de ele ter que colocar apenas mais 1 blind para ver o flop e sua linha extremamente forte no turn é bem possível que o Hero esteja enfrentando uma quadra. Claro que o BB poderia ter feito slowplay com um par maior (que é a pior mão), mas é pouco provável. Mesmo achando que o Hero não devesse lagar seu Valetes, o all-in é uma jogada horrível, já que o BB largaria todos os seus blefes e mesmo um Valete.

Bem, o big blind pagou e mostrou 103, uma quadra. Ainda que pareça que a mão tenha sido padrão, se o Hero tivesse apenas pagado a aposta no turn, o Vilão teria apostado algo em torno de $80 no river e, aí sim, o Hero poderia ter reaumentado. Ele perderia todo o seu stack da mesma maneira? Provavelmente, mas pelo menos ele teria um range percebido mais fraco e poderia ser pago por uma mão pior, além de ter conseguido manter todo range de blefe do BB até o river. Da maneira que ele jogou, ele transformou uma mão extremamente forte em um pega blefes.


NESTA EDIÇÃO


EDIÇÃO 118

Ano 10 - maio, 2017

ASSINE JÁ! ÍNDICE COMPLETO
FichasNet Garantimos o melhor negócio online na compra e venda de créditos.
RoyalPag - Comprou, jogou, ganhou, sacou!
RoyalPag - Comprou, jogou, ganhou, sacou!
Aumente seu stack agora! Stack fichas
Fichas Nupano - Compra e venda de fichas online
Raise Editora - Os melhores livros de poker do mundo totalmente em português

A CardPlayer Brasil™ é um produto da Raise Editora. © 2007-2019. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização.

Lançada em Julho de 2007, a Card Player Brasil reúne o melhor conteúdo das edições Americana e Européia. Matérias exclusivas sobre o poker no Brasil e na América Latina, time de colunistas nacionais composto pelos jogadores mais renomados do Brasil. A revista é voltada para pessoas conectadas às mais modernas tendências mundiais de comportamento e consumo.

Sede: Rua Stela de Souza, 54 - Sagrada Família - Belo Horizonte/MG - CEP: 31030-490
contato@cardplayer.com.br
31 3225-2123
LEIA TAMBÉM!×