EDIÇÃO 116 » MISCELÂNEA

Histórias do Poker - com Doyle Brunson


Redação
Aqui, os craques dos feltros revelam histórias curiosas que apenas o mundo do poker pode proporcionar. Nesta edição, Doyle “Texas Dolly” Brunson, a maior lenda viva do poker mundial, conta um caso curioso de tilt e um fold inacreditável, ambas as situações protagonizadas na Bobby’s Room, sala de cash games high-stakes do Bellagio.

Doyle Brunson, membro do Hall da Fama do Poker, teve uma sessão de cash games insana logo antes do ano novo — mais pelos seus companheiros de mesa do que por ele mesmo.

O profissional de 85 anos disse que presenciou um famoso jogador dar um fold de 3 big bets em um jogo de mixed game, com blinds de $2.000-$4.000, em um pote de $550.000. O detentor de 10 braceletes da WSOP não quis revelar a identidade do jogador e nem com quanto o misterioso jogador havia entrado no jogo. “Sim, vi um jogador não pagar uma aposta de $12.000 em um pote de mais de meio milhão de dólares”, revelou Brunson.



Pouco depois, ele ainda testemunhou dois também famosos jogadores em uma discussão bem acalorada, que resultou em mais de 150 mil dólares, em fichas, espalhados pelo chão do Bellagio. “A situação foi bem feia. Dois jogadores, que estavam jogando por quase 48 horas, entraram em tilt e arremessaram fichas um contra outro. O resultado foi US$ 150.000 no chão da sala”, contou.

De acordo com fontes locais, os dois brigões eram ninguém menos que o dinamarquês Gus Hansen e o norte-americano David Oppenheim. Os dois são grandes vencedores no poker ao vivo, mas Hansen andava desaparecido depois de perder mais de US$ 15 milhões na internet.

Aparentemente, Hansen voltou a jogar na Bobby’s Room na última WSOP. Em agosto do ano passado, Daniel Negreanu chegou a relatar em seu blog, com um certo ar de nostalgia, que a ação estava insana no Bellagio, com jogadores da velha-guarda (Phil Ivey, Brunson, Hansen, Patrik Antonius e Jennifer Harman) se misturando com jovens fenômenos do online.

Apesar de não jogar mais os torneios da WSOP, Brunson ainda é figurinha carimbada nos high-stakes cash games de Las Vegas. Seu filho Todd, que recentemente também entrou para o Hall da Fama do Poker, ganhou em 2015 US$ 5 milhões do bilionário banqueiro Andy Beal, na mesma Bobby’s Room. Essa foi uma das raras aparições de Beal nos jogos high-stakes. Dez anos antes, ele havia perdido oito dígitos para um grupo de profissionais composto por: Jennifer Harman, Doyle Brunson, Chip Reese, Ted Forrest, Chau Giang, Gus Hansen, Todd Brunson e Phil Ivey. Eles foram chamados de chamados de “A Corporação” e suas sessões chegaram a ter blinds de $100.000-$200.000.


NESTA EDIÇÃO



A CardPlayer Brasil™ é um produto da Raise Editora. © 2007-2019. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização.

Lançada em Julho de 2007, a Card Player Brasil reúne o melhor conteúdo das edições Americana e Européia. Matérias exclusivas sobre o poker no Brasil e na América Latina, time de colunistas nacionais composto pelos jogadores mais renomados do Brasil. A revista é voltada para pessoas conectadas às mais modernas tendências mundiais de comportamento e consumo.

Sede: Rua Stela de Souza, 54 - Sagrada Família - Belo Horizonte/MG - CEP: 31030-490
contato@cardplayer.com.br
31 3225-2123
LEIA TAMBÉM!×