EDIÇÃO 116 » ESPECIAIS

Tio Porter - Um professor como você nunca viu


Redação

Em um dos cantos de uma das salas de poker mais movimentadas do mundo, no Commerce Casino de Los Angeles, do alto de seus 46 anos, Rep Porter se encontra impassível atrás de uma montanha de fichas brancas, cada uma delas vale 100 dólares. Ele está em um jogo de mixed games em que os blinds são $200-$400, jogo pelo qual ele viaja constantemente para Los Angeles. A rotina de Porter é mais dedicada a cash games, embora ele já tenha ganhado mais US$ 3 milhões em torneios, incluindo três braceletes da World Series of Poker (WSOP). É justo dizer que sua competência em torneios está à altura de sua proficiência nos cash games.

“Torneios são divertidos de jogar e mais ainda de ganhar”, conta Porter. “Mas a variância é gigante. Jogando cash games seus ganhos são muito mais constantes” — e consistência é importante para ele, pai de duas adolescentes. “Jogar torneios profissionalmente envolve muitas viagens e um comprometimento que pode chegar até ser punitivo. Eu gosto da WSOP. Fora dela, são poucos os torneios que jogo, sempre prefiro os cash games”.

Durante os anos, Porter gastou milhares de horas debatendo o jogo, seja com jogadores recreativos ou com seus colegas profissionais. Foi através dessas conversas que ele percebeu que os ensinamentos sobre o jogo deixam muito a desejar, principalmente em relação às modalidades menos convencionais, leia-se: tudo que não seja no-limit Hold’em (NLH). Com isso em mente, ele decidiu criar The Poker Academy (A Academia do Poker). O objetivo é reunir um time de grandes jogadores e instrutores para ensinar todos os tipos de jogos, principalmente aqueles que estão disponíveis nos principais cassinos do mundo.

“Nós começamos com um curso de NLH”, diz Porter. “É obviamente o jogo que a maioria das pessoas joga. Mas nós queremos que as pessoas venham ao nosso site aprendam também outras ‘disciplinas’. Esse é o nosso diferencial”.

Para o curso de NLH, Porter recrutou Rick Fuller. “Rick é um jogador fantástico, mas mais importante que isso: ele um currículo incrível quando se trata de ensinar poker. Ele ensinou o jogo para milhares de jogadores. Seu know-how nos ajudou a criar um produto que atrai o aluno. Ele sabe ensinar desde os conceitos mais básicos até as estratégias mais avançadas”.

No curso de limit hold’em (LH), Porter chamou Ian Johns. “Ian é provavelmente o melhor jogador de LH que conheço. Ele tem três braceletes da WSOP, sendo dois deles da modalidade, incluindo o Champioship de LH do ano passado. Seu terceiro bracelete foi no H.O.R.S.E, que contém LH. Fora isso, ele ainda joga cash games limit e tem sido um vencedor consistente pela última década”.

As conquistas de Ian em LH estão entre as mais notáveis do mundo. Porter sente que os conceitos que ele traz são incrivelmente complexos e avançados. “É o melhor curso já criado de LH. Não tenho dúvidas disso”, revela Porter. “Além do conhecimento único, Ian tem uma didática excelente”.

O próximo jogo da lista é stud. O professor escolhido foi o pop-star da Twitch Jason Somerville. “Jason é provavelmente o jogador mais famoso que temos. Ele joga centenas de mãos diariamente (e ao vivo) pelo seu canal na Twitch”. Além de um bracelete da WSOP, Jason já ganhou mais US$ 6 milhões em torneios. Junto com Jason, Porter criou um curso para Seven-Card Stud.

Segundo Porter, o objetivo da Academia do Poker é diferente das diversas escolas espalhadas pelo mundo: “Nós queremos ensinar os estudantes a tomarem melhores decisões nas mesas de poker. Nosso lema é: ‘melhores resultados através de melhores decisões’. Poker é jogo de decisões. Você não pode simplesmente ensinar alguém a fazer X se seu adversário faz Y. Isso é o que torna difícil o aprendizado. Não basta despejar uma tonelada de vídeos explicando o que você está fazendo. É preciso ensinar o aluno a pensar sobre situações”.

A maneira com que as aulas são filmadas também é diferente. De acordo com Porter, eles tentam fazer como um programa de TV, usando múltiplas câmeras profissionais. Dessa maneira, eles esperam conseguir a atenção total do aluno, como as mesas redondas dos programas de esportes.

O próximo passo para a Academia do Poker é criar dois cursos específicos para cash games. Como bom jogador de cash games, Porter diz que pretende mostrar que em cada tipo de mesa as estratégias mudam drasticamente. Por isso é importante ter um curso para jogos com CAP (limite) e sem CAP em relação ao buy-in. Para o primeiro caso, a professora será Susie Zhao. “Susie é especialista em jogos que o buy-in tem CAP. Ela sabe como a matemática se transforma nesse tipo de jogo”, conta Porter.

Mas por que revelar tantos segredos do jogo para o mundo? Porter não precisa dar aulas para sobreviver. Então seria algo altruísta da parte do norte-americano? Também não. “Claro que gosto de ensinar e também espero ganhar dinheiro com isso, mas o grande ponto é que montar toda essa estrutura me faz estudar cada jogo ainda mais a fundo. Ao ensinar as pessoas a tomarem melhores decisões, eu também estou aprimorando a minha capacidade de tomar as melhores decisões”, revela.

Rep Porter espera trazer ainda outros instrutores experientes e colocar mais modalidades à disposição, como Razz e Omaha. Todo o conteúdo, em inglês, da Academia do Poker também pode ser desfrutado pelos brasileiros em ThePokerAcademy.com.




NESTA EDIÇÃO



A CardPlayer Brasil™ é um produto da Raise Editora. © 2007-2019. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização.

Lançada em Julho de 2007, a Card Player Brasil reúne o melhor conteúdo das edições Americana e Européia. Matérias exclusivas sobre o poker no Brasil e na América Latina, time de colunistas nacionais composto pelos jogadores mais renomados do Brasil. A revista é voltada para pessoas conectadas às mais modernas tendências mundiais de comportamento e consumo.

Sede: Rua Stela de Souza, 54 - Sagrada Família - Belo Horizonte/MG - CEP: 31030-490
contato@cardplayer.com.br
31 3225-2123
LEIA TAMBÉM!×