EDIÇÃO 112 » ESPECIAIS

WSOP Circuit chega ao Brasil


Marcelo Souza e Diego Scorvo

A maior série de torneio do mundo chegou ao Brasil. Com a chancela do 888 Poker, patrocinador oficial do evento, a World Series of Poker trouxe pela primeira vez seu circuito ao País, o WSOP Circuit. O palco escolhido foi o Transamerica Expo Center, centro de convenções localizado em São Paulo.

O WSOP Circuit é um festival de torneios que segue os moldes da World Series of Poker que ocorre no meio do ano, no verão norte-americano, em Las Vegas, mas que entrega anéis em vez de braceletes aos seus campeões. O objetivo do circuito é dar aos jogadores a oportunidade de jogar um torneio com a excelência que a marca WSOP tem, sem precisar ir até Las Vegas.

ANÉIS VERDE-AMARELOS

Até este ano, Felipe Mojave era o único brasileiro a conquistar um anel da WSOP. O feito foi alcançado em 2010, durante uma etapa na África do Sul e em um evento de pot-limit Omaha. No entanto, nos meses de outubro e novembro, esse cenário mudou drasticamente, graças à grade de 25 torneios (14 eventos de aneis) destinada a São Paulo. 

Foram 13 anéis para o Brasil e um para a Argentina, sendo que o mineiro Rafael Caiaffa venceu dois eventos (High Roller e 8-Game) e se tornou o primeiro brasileiro a ter dois anéis do circuito.

Criado na década de 70, o anel de ouro é produzido por um único joalheiro da Jostens, renomada fabricante localizada no estado de Minnesota, nos Estados Unidos.  

QUEBRANDO RECORDES

Logo no primeiro evento, o WSOP Circuit conheceu a força da comunidade tupiniquim. O torneio Brazilian Storm fez jus ao nome e registrou 2.981 entradas, o maior field de um campeonato da marca WSOP realizado fora dos Estados Unidos.

Com buy-in de apenas R$ 580 reais, o Brazilian Storm reuniu jogadores de todos os cantos, inclusive alguns estrangeiros. A prize pool chegou a quase 1,5 milhão de reais e 500 jogadores dividiram diferentes fatias desse valor. O grande campeão foi Bruno “Chato” Nunes, profissional do Rio de Janeiro que embolsou R$ 261.000

A MARCA WSOP

Apesar da crise pela qual passa o Brasil, todos os torneios do festival brasileiro foram um sucesso. Nas mesas, uma mescla entre “veteranos” e “novatos”. Quem notou isso, foi um dos embaixadores do 888 Poker, Bruno Kawauti.

“O WSOP Circuit atraiu muitos jogadores amadores. A marca WSOP é muito forte — e é o sonho de todo jogador, amador ou profissional, vencer um evento da World Series”, conta Kawauti. “Quando o cara está começando a jogar, a primeira coisa que ele assiste são os programas da WSOP. Eu joguei o Brazilian Storm e fiquei impressionado com a quantidade de caras novas. É um field diferente do BSOP, em que vemos as mesmas caras quase sempre. A marca WSOP mostrou a sua força”, finalizou.



REPRESENTANDO O TIME 888

Patrocinado oficial do evento, o 888 poker não poderia deixar de ter um campeão carregando as cores do site.

A vitória de Bruno Foster no torneio Giant Pot-Limit Omaha foi emblemática. Para o 888 e pelo fato de o cearense ser o único brasileiro a ter chegado ao November Nine, mesa final do principal torneio de poker do mundo, o Main Event da World Series of Poker.

Foster superou 231 jogadores para levar R$ 112.000. No heads-up ele derrotou ninguém menos que Fernando Scherer, o “Xuxa”, nadador medalhista olímpico em 1996 e 2000.

“Ganhar o anel do WSOP Circuit é com certeza um dos melhores momentos da minha vida até hoje. Ter essa galera toda, torcendo e gritando por mim, sem parar, a madrugada toda, faz tudo isso valer a pena. Que festa linda, turma”, escreveu Foster em perfil no Facebook, que realmente teve um dos rails mais barulhentos de todo o festival.

FESTIVAL DE TUBARÕES

Se não foi o torneio com a premiação mais alta, foi o que mais atraiu curiosos. O Super High Roller do WSOP Circuit registrou 29 entradas e um prize pool de R$ 331.096. 

Basta uma rápida olhada entre os nomes dos cinco jogadores que ficaram ITM para que o título deste tópico faça sentido. Cinco profissionais consagrados, sendo que três deles já estamparam a capa da Card Player Brasil: Rafael “GM_VALTER” Moraes (5º – 54.560), Felipe Mojave (4º – R$ 64.000) e Thiago Decano (3º – R$ 82.400).

O heads-up foi entre o especialista da modalidade Hélio Neves e os especialistas em torneios high-rollers Luiz Duarte. Melhor para Hélio, que levou R$ 192.000 e um anel cravejado de brilhantes. 

A curiosidade do torneio ficou por conta de um jogador equatoriano, que realizou duas entradas no Dia 1, passou para o Dia 2 com cerca de 20 big blinds, mas não apareceu para jogar.

MAIN EVENT

A cereja do bolo de todo festival de poker é o seu evento principal. Com buy-in R$ 3.950, o Main Event do WSOP Circuit Brasil teve 1.002 entradas e uma premiação total de R$ 3.252.000, mais do que os R$ 3 milhões garantidos pela organização.

Com quatro dias de duração, o torneio teve uma das mesas finais mais diversificadas da história do poker brasileiro. Dos nove finalistas, dois eram do Distrito Federal, dois de Goiás e um do Paraguai. Completaram a mesa: São Paulo, Rio de Janeiro, Mato Grosso do Sul e Fortaleza. 

João Bauer, um dos brasileiros com mais mesas finais no circuito latino, era o nome mais conhecido, mas quem fez a festa no final foi Oderlândio Moura, do Ceará, aluno do seu conterrâneo Bruno Foster. Após eliminar Bauer no 3-handed, ele avançou com o dobro de fichas de seu adversário, Marco Túlio Fernandes, para o heads-up. O duelo entre os dois terminou rapidamente, com os dois indo all-in após verem o flop J♣5♣3♥. Oderlândio tinha 10♦10♣ contra 7♣3♣ de Marco. O turn, um 10♠, e o river, um 4♠, confirmaram o título do cearense.

Muito feliz com título, Oderlândio afirmou que uma das maiores dificuldades foi jogar contra João Bauer. “Jogar ao lado do João intimida, mas ao mesmo tempo é um incentivo. Tenho ele como exemplo de jogador. Ele joga muito, por isso sempre estudo o que ele faz”, revelou enquanto comemorava a vitória com os amigos.


RESULTADO FINAL DO MAIN EVENT 

1. Oderlândio Moura (Fortaleza - CE) – R$ 750.000

2. Marco Túlio Fernandes (Brasília - DF) – R$ 460.000

3. João Bauer (Goiânia - GO) – R$ 340.000

4. Luís Felipe Martins (Brasília - DF) – R$ 250.000

5. Gabriel Borges (Marília - SP) – R$ 180.000

6. Renan Sampaio (Cabo Frio - RJ) – R$ 120.000

7. Paulo Diniz (Iporá - GO) – R$ 83.400

8. Marco Azambuja (Campo Grande - MS) – R$ 56.300

9. Marcelo Filartiga (Paraguai) – R$ 40.000


Ficha Técnica:

Main Event do WSOP Circuit Brazil

Data: 26 de outubro a 02 de novembro

Local: Transamerica Expo Center (São Paulo – SP)

Buy-in: R$ 3.950

Entradas: 1.002

Prize pool: R$ 3.252.000


OS 14 ANEIS DO WSOP CIRCUIT BRAZIL:


R$ 580 BRAZILIAN STORM

Bruno “chato” Nunes – R$ 165.000


R$ 20.000 SUPER HIGH ROLLER

Hélio “hneves182” Neves – R$ 192.000 




NESTA EDIÇÃO



A CardPlayer Brasil™ é um produto da Raise Editora. © 2007-2019. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização.

Lançada em Julho de 2007, a Card Player Brasil reúne o melhor conteúdo das edições Americana e Européia. Matérias exclusivas sobre o poker no Brasil e na América Latina, time de colunistas nacionais composto pelos jogadores mais renomados do Brasil. A revista é voltada para pessoas conectadas às mais modernas tendências mundiais de comportamento e consumo.

Sede: Rua Stela de Souza, 54 - Sagrada Família - Belo Horizonte/MG - CEP: 31030-490
contato@cardplayer.com.br
31 3225-2123
LEIA TAMBÉM!×