EDIÇÃO 11 » ESTRATÉGIAS E ANÁLISES

Pot-Limit Omaha: Draws Dominantes

Um jogo de draws


Jeff Hwang

A verdade sobre pot-limit Omaha (PLO) é que cerca de 99% do jogo é disputado com draws. Salvo poucas exceções, raros são os potes contestados quando um jogador consegue a melhor mão no flop e outro consegue a segunda melhor, como o nut flush versus o segundo nut flush, ou nut straight versus o segundo nut straight. Quando o flop dá a dois jogadores o nut straight, o resultado final em geral é decido por redraws que ambos os jogadores podem ou não possuir. Quando alguém tem J-10-9-8 e o flop vem J-J-10, um oponente com A-K-Q-J tem nove outs duas vezes para conseguir um full house melhor. Mesmo confrontos entre trincas podem não ser uma garantia para o jogador que possui a melhor mão, pois aquele que tem a trinca do meio pode ter também quedas para straight e/ou flush como válvulas de escape.

Dito isso, é também com draws que os maiores e mais caros erros são freqüentemente cometidos. Além disso, a maioria dos grandes potes em PLO tende a girar em torno de quedas para straight. Existem três maneiras básicas de um jogador com um draw dominante ganhar um grande pote contra um jogador que pensa menos à frente:

1. Quando alguém com um straight draw que não é o nuts paga para tentar acertar seu draw e depois paga uma big bet quando forma a segunda melhor mão, o oponente com o jogo dominante (um grande straight draw que, se concretizado, será o nuts) extrai valor ao longo da mão.

2. Alguém com o jogo que não é o melhor poderia conseguir o nut straight no turn, para apenas empatar; isso é especialmente verdadeiro quando o jogador tem uma mão de naipes diferentes ou um straight draw mas há duas cartas no mesmo naipe no bordo, sendo que ele mesmo não tem o flush draw.

3. Alguém com um par e 13 cartas para o straight tem uma vantagem grande sobre um que simplesmente tenha 3 cartas para o straight duas vezes, pois não precisa melhorar para ganhar.

Caso Nº 1: Nut Straight Draw vs Straight Draw Simples

O primeiro caso é de nut straight draw versus straight draw não-soberano. Por exemplo, a mão J-10-8-6 produz o melhor jogo com um bordo que contenha 9-7-3: qualquer 5, 6, 8, 10 ou valete produz a melhor seqüência, sendo completado até o river 59% das vezes. Por outro lado, 8-6-5-4 produz um draw de 16 cartas com o mesmo flop de 9-7-3, mas apenas seis outs são para o nuts. Enquanto isso, muitas das cartas que completariam a seqüência para o 8-6-5-4 servem apenas para dar uma seqüência mais alta para a mão J-10-8-6. O resultado é que a esta mão é favorita na proporção de 5 para 1 (83,2% contra 16,8%) em relação à 8-6-5-4 no flop 9-7-3.

Nesse caso, se o dinheiro de for all-in no flop, o jogador que tem a queda de 16 outs para o nuts estará em situação de dominação sobre aquele que tem o straight draw simples. E mesmo que o jogador com 8-6-5-4 evite ir de all-in no flop, ele está dando valor toda vez que pagar para tentar acertar seu draw e conseguir a seqüência mais fraca, seja pagando ou simplesmente desistindo, assim como em todas as vezes que ele pagar para tentar o draw e não conseguir.

Eis outro item digno de nota: Q-J-8-7 em um flop com 10-9-2, apesar de conseguir um fantástico draw de 20 outs (sendo 14 para o nuts), é facilmente dominada; enquanto A-K-Q-J, que tem “meros” 13 outs para o nuts com o mesmo flop, curiosamente é favorita em quase 2-1 em relação ao draw de 20 outs. E é fácil perceber por que: algumas das cartas que completam o draw de 20 cartas formam no de 13 uma seqüência maior (especificamente, os valetes e as damas), pois o draw de 20 cartas pode acertar uma seqüência menor no turn e perder no river. Além disso — ou melhor, a parte mais importante disso — a mão A-K-Q-J não precisa melhorar para vencer.


Conceito do “PLO – The Big Play” Nº 12: Só tente acertar um draw se for o nuts.

Conceito do “PLO – The Big Play” Nº 13: Nut-straight draws altos têm muito potencial para grandes mãos.

Caso Nº 2: Empate no final

Um straight draw (ou mesmo uma seqüência pronta) perde significativamente o valor sempre que duas cartas para o flush aparecem no bordo e você não tem um flush draw. Isso ocorre por duas razões: a primeira é que você tem menos outs para conseguir o melhor jogo, pois poucas são as cartas que lhe dão uma seqüência sem colocar um flush na mesa. A segunda é que você está se preparando para empatar e ser derrotado mais tarde, mesmo que consiga o nut straight no turn.

Ainda assim, diversos jogadores tentam acertar uma queda para straight sob essas exatas circunstâncias, para apenas empatar no final. Por exemplo, digamos que você tenha K Q J 10 e o flop traga 9 8 2, dando a você um nut-straight draw de 13 cartas com um flush draw e um backdoor-flush draw. Um jogador com K Q J 10 está apenas se preparando para empatar se ambos formarem a seqüência no turn, para depois perder, supondo que uma carta para flush não apareça — e supondo também que o dinheiro não está all-in no flop, hipótese em que a mão K-Q-J-10 com o flush draw é favorita na proporção de 2,6-1 em relação à outra mão K-Q-J-10.

Enquanto isso, um jogador com 13 cartas que possam o nut straight é favorito sobre qualquer outro draw. Perceba na tabela abaixo que essa mão — assim como a A J 10 9 num bordo com 8 7 4 — é favorita quase em 3-1 em relação a um nut-straight draw de 16 cartas com um flush draw e um backdoor-flush draw.


Conceito do “PLO – The Big Play” Nº 14: A presença de dois duas cartas para o flush no bordo pode desvalorizar significativamente um straight draw. Não tenha o hábito de pagar para tentar acertar uma seqüência quando houver duas cartas do mesmo naipe no bordo e você não tiver um flush draw.

Conceito do “PLO – The Big Play” Nº 15: Três cartas para uma seqüência com um ás do mesmo naipe têm excelente potencial para um grande jogo.

Caso Nº 3: Par Dominante Mais Straight Draw
O valor de um par geralmente é subestimado quando jogado em conjunto com um straight draw de 13 cartas. Perceba que, na tabela anterior, a mão J-10-9-8 — um par com o melhor straight draw de 13 cartas — tinha quase duas vezes o valor da mão J-10-9-6 quando enfrenta A-J-10-9. Assim, um par e o melhor straight draw de 13 cartas têm grande vantagem sobre um mero straight draw de 13 cartas, e não precisa melhorar para ganhar.

Por exemplo, em um bordo com 10-9-4, K-Q-J-10 com um top pair e um straight draw de 13 cartas é favorito de quase em 4-1 sobre K-Q-J-5 (um nut-straight draw simples, de 13 cartas). Em um bordo contendo K-Q-4, A-A-J-10 é similarmente favorito em 4-1 em relação a A-J-10-5. Isso diz muito sobre o valor de se jogar mãos pré-flop nas quais quatro cartas trabalham juntas para obter potencial múltiplo.

Conceito do “PLO – The Big Play” Nº 16: Além de outras possibilidades, três cartas para uma seqüência com um par e quatro cartas conexas podem produzir um par com um straight draw de 13 cartas.

Conceito do “PLO – The Big Play” Nº 17: Jogar mãos com apenas três cartas úteis consiste em dar vantagem à oposição: essas três cartas são marginais na melhor das hipóteses.

Jeff Hwang é um jogador semiprofissional e autor de Pot-Limit Omaha: The Big Play Strategy. Jeff é também um analista de investimentos que escreve sobre ações de cassinos para a Motley Fool em Fool.com. Para obter uma lista dos jogos de PLO perto de você, visite o website de Jeff no endereço www.jeffhwang.com 




NESTA EDIÇÃO



A CardPlayer Brasil™ é um produto da Raise Editora. © 2007-2019. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização.

Lançada em Julho de 2007, a Card Player Brasil reúne o melhor conteúdo das edições Americana e Européia. Matérias exclusivas sobre o poker no Brasil e na América Latina, time de colunistas nacionais composto pelos jogadores mais renomados do Brasil. A revista é voltada para pessoas conectadas às mais modernas tendências mundiais de comportamento e consumo.

Sede: Rua Stela de Souza, 54 - Sagrada Família - Belo Horizonte/MG - CEP: 31030-490
contato@cardplayer.com.br
31 3225-2123
LEIA TAMBÉM!×