EDIÇÃO 11 » MISCELÂNEA

Oráculo


Roy Winston e Michael Binger

Essa mão surgiu enquanto eu voava de Las Vegas a San Jose, sentado ao lado de Layne Flack, a caminho do Bay 101, para o evento Shooting Star deste ano. Estávamos discutindo mãos que tínhamos jogado juntos durante os últimos meses, e ele me contou sobre uma mão que perdera para Daniel Negreanu na mesa final do Main Event no The Plaza em 2004, que, embora tenha ocorrido há quatro anos, eu achei bastante interessante, e espero que vocês também achem. Os jogadores eram Daniel Negreanu, Freddy Deeb, Gavin Smith, Layne Flack, Ted Forrest e Dan Alspach, um grupo bem diversificado, em minha opinião.

Fatos da Mão


Pré-flop: Flack entrou de limp de posição inicial. Forrest também entrou de limp. Negreanu pagou do small blind e Alspach pediu mesa do big blind.

O Flop: A 9 6; tamanho do pote: 15.000

Os blinds pediram mesa e Flack abriu raise de 12.000 no pote de 15.000. Forrest e Negreanu pagaram, e Alspach desistiu (ele me disse que tinha A-Q de naipes diferentes e pressentiu uma armadilha; Flack, ao revisar o texto, disse que pressentiu uma armadilha e que comeria essa coluna se Alspach tivesse A-Q). 
Negreanu pediu mesa, Flack apostou 22.000 no pote de 51.000, Forrest desistiu e Negreanu pagou.
Negreanu apostou 14.000 no pote de 95.000, Flack pagou. Negreanu levou o pote com um flush maior.

LEITURA DE LAYNE FLACK
Eu decidi entrar de limp com 8-5 do mesmo naipe para ser criativo diante da mesa. Eu gosto de jogar poker situacional e ver flops baratos, me encontrar em uma boa situação e continuar a dominar a mão a partir daí. Todo mundo veio para a mesa final esperando um jogo tight, e eu queria mixar estilos. No flop, eu sabia que tinha a melhor mão. Eu tinha duas opções: tentar levar o pote logo ali ou tentar extrair o valor máximo. Eu achei que, fazendo um pequeno slowplay, eu poderia comprometer os estoques de Negreanu e Forrest e dobrar o meu ao mesmo tempo.

No turn, achei que estava seguro, precisando enfrentar apenas mais uma carta. Eu fiz uma aposta provocativa, dizendo “você tem que pagar” diante do tamanho do pote. Eu esperava manter pelo menos um deles. Fiquei feliz quando Negreanu pagou e ficamos heads-up. Quando surgiu outra carta de paus, eu tinha certeza de que tinha perdido, mas paguei porque tinha mais de 7-1 sobre meu dinheiro.

ANÁLISE DE MICHAEL BINGER
Ação Pré-flop: Eu geralmente não entro de limp contra cinco adversários, especialmente com algo como 8-5 do mesmo naipe. Flack tinha 110.000 e o total de blinds e antes era de 10.500, o que deu a Flack um M de cerca de 10. Dependendo da dinâmica da mesa, eu largo 85s ou subo para cerca de 8.000. Isso me dá a chance de aumentar imediatamente meu estoque em 10% e, se alguém pagar, eu demonstrei agressividade e posso fingir um ás ou um flop com ás como carta mais alta, por exemplo.

No Flop: Eu gosto de apostar uma quantia sólida, e 12.000 parece apropriado. Você deve colocar um valor que faça com que seus oponentes achem que você está blefando, apostando com um par alto ou com um monstro, e apostar 80% do pote faz com que eles fiquem no escuro.

Com duas pessoas pagando no flop, você precisa supor que pelo menos uma delas tem um flush draw maior, dando a ele seis outs, já que o 7 lhe daria um straight flush. Eles também poderiam ter dois pares ou talvez uma seqüência, embora isso seja menos provável, já que eles possivelmente teriam aumentado pré-flop com A-A ou 9-9, restando apenas 6-6. E com uma trinca, é provável que eles tentassem dominar o flop. Então, com dois jogadores pagando, seus oponentes combinados têm seis outs para lhe derrotar; talvez eles estejam fazendo slowplay com um flush maior, e talvez tenham 4 outs (dois pares) ou 10 outs (seqüência). Outra hipótese a se considerar é a de algum teimoso pagar com apenas um ás. Combinando tudo isso, eu gosto de apostar um valor próximo à metade do pote, talvez 25.000-30.000. Eu acho 22.000 uma quantia um pouco pequena. Supondo que Negreanu duplique as fichas de Flack quando aparecer a carta do straight-flush, o 7, o EV de Negreanu ao pagar no turn é: EV = 1/44 x (95.000) + 6/44 x (51.000 + 22.000 + 14.000)  + 37/44 x (-22.000) = -8.795. Portanto, ao apostar 22.000, Flack fez com que Negreanu cometesse um erro de eqüidade de fichas.

Contudo, esse cálculo não leva em conta a necessidade de se preservar o próprio estoque, nem as implicações relativas à estrutura de prêmios. Deste modo, eu acho que uma aposta levemente maior por parte de Flack seria necessária, o que tornaria o call de Negreanu no turn ainda pior (e melhor para Flack!).
Enfim, quando chegar ao river, você tem que pagar conseguindo 8-para-1 sobre seu dinheiro com o flush. Negreanu poderia estar fazendo uma aposta de proteção/pelo valor com um flush menor em algumas situações, ou mesmo executando um blefe estranho.

ANÁLISE DE ROY WINSTON
Ação Pré-flop: Quando você decide jogar uma mão como 8-5 do mesmo naipe e tem a sorte de conseguir um pequeno flush no flop, isso cria vários problemas interessantes. Primeiramente, a não ser que você seja extremamente sortudo e consiga o straight flush, sempre ficará vulnerável a um flush com duas cartas melhores, ao draw que espera a quarta carta do flush e a eventuais pares que surjam no bordo. É preciso proteger sua mão, usá-la como armadilha ou jogar na defensiva? O tamanho do pote no flop era 15.000 e Flack abriu 12.000. Se Flack estivesse mano a mano com Negreanu, sem nenhum par e apenas o nut-flush draw, ao perceber que o rei apenas não era bom o suficiente, Negreanu provavelmente descartaria sua mão. Contudo, como Forrest pagou, o call de Negreanu faz sentido, pois ele tem 3,25-para-1 sobre seu dinheiro para o nut-flush draw.

Jogo no Turn: Flack está tentando ganhar dinheiro com seu flush enquanto tenta evitar outra carta de paus no river. A gama de mãos com que Negreanu poderia estar jogando do small blind pode incluir um ás e uma carta de paus, ou, na pior das hipóteses, o K com um 9 ou um 6, o que daria a ele dois pares e o nut- flush draw. Flack decidiu apostar 22.000, sabendo que estava colocando um alto preço para quase qualquer mão de Negreanu. No entanto, mesmo que ele colocasse uma aposta do tamanho do pote e estivesse diante do segundo par e do nut-flush draw, Negreanu não iria recuar tão facilmente, talvez até achando que tivesse a melhor mão.

Jogo no River: Inevitavelmente, quando a carta do dinheiro apareceu no river, Flack sabia que provavelmente estava derrotado, mas, diante da aposta pequena de Negreanu, que parecia quase defensiva, Flack pagou, tendo 8-1 sobre seu dinheiro.

O objetivo de Flack era extrair o valor máximo. Caso se tratasse de um cash game em vez de um torneio, eu concordaria completamente. Contudo, em um torneio, em que suas fichas não são substituíveis, eu sou mais conservador. Quando eu “sei” que estou derrotado, eu não pago a aposta pelo valor, mesmo que ela seja pequena, e eu teria jogado no flop e, se tivesse conseguido, teria sido mais agressivo no turn. Em geral, eu não gosto de entrar de limp e jogar multi-potes em mesas finais, pois você em regra não é capaz de tomar boas decisões com base nas mãos que supõe que seus oponentes tenham. Um aumento pré-flop diminui o field e geralmente permite enfrentar apenas um adversário. Além disso, essa jogada possibilita representar uma vasta variedade de mãos depois do flop.

RÉPLICA DE LAYNE FLACK
Para todos aqueles que acham que eu não deveria ter tentado extrair o valor máximo, lembre-se que o pote tinha o tamanho de meu estoque inicial, e essa é uma ótima situação com a qual se deparar, especialmente contra competidores tão difíceis. Se eu pudesse jogar novamente a mão, a única coisa que questionaria seria o pagamento no river, embora o número de mãos com que Negreanu podia ter incluía muitas que eu derrotaria, o que faz com que meu call pareça bom e não idiota.

Conclusões dos Profissionais
Binger: Aumente ou descarte pré-flop, mas não entre de limp. A aposta do flop foi correta. A do turn foi levemente menor do que deveria. O call no river foi necessário.
Winston: O flop e o turn deveriam ter sido jogados mais agressivamente. Independentemente de as odds lhe favorecerem, se você sabe que está derrotado no river, por que pagar a seu oponente?

Inevitavelmente, quando a carta do dinheiro apareceu no river, Flack sabia que provavelmente estava derrotado, mas, diante da aposta pequena de Negreanu, que parecia quase defensiva, Flack pagou, tendo 8-1 sobre seu dinheiro.




NESTA EDIÇÃO



A CardPlayer Brasil™ é um produto da Raise Editora. © 2007-2019. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização.

Lançada em Julho de 2007, a Card Player Brasil reúne o melhor conteúdo das edições Americana e Européia. Matérias exclusivas sobre o poker no Brasil e na América Latina, time de colunistas nacionais composto pelos jogadores mais renomados do Brasil. A revista é voltada para pessoas conectadas às mais modernas tendências mundiais de comportamento e consumo.

Sede: Rua Stela de Souza, 54 - Sagrada Família - Belo Horizonte/MG - CEP: 31030-490
contato@cardplayer.com.br
31 3225-2123
LEIA TAMBÉM!×