EDIÇÃO 106 » COLUNA NACIONAL

O que é ser o melhor?

É preciso muito mais do que técnica e ritmo de grind


João Bauer
Para ser o melhor naquilo que você faz é muito fácil, basta você ser o mais focado, disciplinado, estudar todos os dias, praticar constantemente, ter um estilo de vida saudável e uma mente treinada para buscar a alta performance em todas as atividades que o cercam. No poker, ser o melhor exige mais ainda. É preciso muito mais do que técnica e ritmo de grind. É necessário perseverança,  em retomar dia após dia com a mesma intensidade. 
 
Um grande exemplo do que é ser perseverante é Michael Jordan, o maior ídolo da história do basquete. Jordan afirma que errou mais de 9.000 arremessos na sua carreira, que perdeu quase 300 jogos e que em 26 ocasiões teve a bola do jogo em suas mãos e errou. Ainda assim, continuava treinando. Ele aprendeu a lidar com o erro e identificou que o acerto é fruto do trabalho. 
 
Outro grande exemplo disso é Thomas Edson, provavelmente o maior inventor norte–americano. Na tentativa de inventar a bateria, falhou por 10 mil vezes, e perguntado como se sentia por ter falhado tanto ele respondeu: “Não sei o porquê de você achar que foi um fracasso. Hoje, eu conheço 10 mil maneiras de como não fazer uma bateria”. Segundo ele, um gênio é 99% transpiração e 1% inspiração.



Ser o melhor do mundo como jogador de poker é exatamente isso. É se acostumar com o erro, com  a falha, e usar cada deslize como autoaprendizado. Uma forma de você maximizar isso é estudando os erros que já foram cometidos por outros, avaliar pessoas, analisar retas finais de terceiros. Tudo isso envolve parte do processo de transpiração para atingir o êxito. 
 
Mas para ser o melhor, você não pode ficar restrito ao mundo do poker. É preciso ir além. Você precisa de um estudo da mente humana, das características do ser humano. Para isso, você pode usar diversas ciências e ou estudos para lhe auxiliarem, desde literatura à hipnose. 
 
O que estou tentando mostrar é que ser médio é fácil, basta estudar um pouco, abrir as salas de poker, praticar, tentar entender o que os regulares estão fazendo, fazer um ou outro review e, no final, estará tudo bem. Você terá lucro no final do mês. Se tiver sorte, o famoso big hit pode aparecer também, mas para ser o melhor é necessário transpirar, sair do normal, trabalhar enquanto os outros descansam. 
 
Enquanto as outras pessoas vão a um barzinho e esquecem realmente do que fazem, você também pode ir, se divertir, mas há a opção de treinar a sua observação, identificar tudo que está rolando em sua mesa, aumentando assim sua visão periférica e criando um processo de treinamento e observação, que são extremamente importantes para o jogador de poker. 
 
Se você disciplinar o foco, utilizando métricas perfeitas para cada atividade realizável, o sucesso acaba sendo inevitável.  Agora saia do sofá e vá estabelecer suas metas e traçar os caminhos que deve percorrer para alcançá-las.


NESTA EDIÇÃO



A CardPlayer Brasil™ é um produto da Raise Editora. © 2007-2018. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização.

Lançada em Julho de 2007, a Card Player Brasil reúne o melhor conteúdo das edições Americana e Européia. Matérias exclusivas sobre o poker no Brasil e na América Latina, time de colunistas nacionais composto pelos jogadores mais renomados do Brasil. A revista é voltada para pessoas conectadas às mais modernas tendências mundiais de comportamento e consumo.

Sede: Rua Stela de Souza, 54 - Sagrada Família - Belo Horizonte/MG - CEP: 31030-490
contato@cardplayer.com.br
31 3225-2123
LEIA TAMBÉM!×