EDIÇÃO 91 » COLUNA NACIONAL

Ganhando com acordos

Deal or no Deal


Ivan Santana

E aí, turma da Card Player? Na coluna de hoje, vou dar algumas dicas para sempre levarmos em consideração quando o assunto for acordos (deals) em torneios.

 

1- Deixe para falar sempre por último

Esta primeira dica é simples, mas que muitos jogadores esquecem, se afobando e já propondo números ou falando que concorda ou não concorda antes dos outros responderem.

Assim como em uma mesa de poker é importante ter posição e saber a ação do oponente primeiro, em qualquer negociação, o ideal é você ver a proposta dos outros primeiramente, para saber o que eles pretendem antes de dar a sua proposta.

Quando o site lançar os números, espere primeiro os outros jogadores darem opinião antes de tomar a sua, isso pode ser fundamental para não gastar algum cartucho à toa.

 

2- Avalie o nível dos jogadores restantes

Quanto pior os jogadores restantes, menos você deve se inclinar a fazer um acordo; e quanto melhor o nível dos adversários, mais você pode aceitar acordos. Quando os oponentes são muito ruins, normalmente, você não vai propor acordos ou vai propor acordos extremamente favoráveis (sim, utilize isso a seu favor, acordos em torneios não existem para ser "bonzinho"). Quando você enfrentar jogadores de alto nível técnico, deve propor acordos com mais frequência, até para evitar a variância.

 

3- Avalie o quanto a variância do prêmio pode te afetar

Sempre falamos em "longo prazo" no poker, mas alguns torneios, os torneios que dão "big hits", raramente têm um longo prazo. Mesmo um profissional faz poucas vezes por ano mesas finais desses torneios.

Assim, para evitar variância, você deve fazer acordos, principalmente nos torneios em que a premiação é significativa em relação ao seu bankroll. Por outro lado, o torneio semanal do clube que você joga ou os torneios diários da internet já não necessitam tanto de acordos.





4- Avalie o quanto a variância do torneio pode afetar os outros jogadores

Outro peso importante é saber o quanto a premiação é importante para os oponentes. Se você sabe que o adversário tem bankroll bem curto e cada pulo de premiação é importante para ele, você pode usar essa informação a seu favor para conseguir vantagens na hora de negociar o acordo. Um jogador que, por exemplo, joga torneios de buy-in médio de 5 dólares, provavelmente vai ceder bastante em uma negociação de uma mesa final de um torneio de 100 dólares, ele estará preocupado em garantir uma fatia boa, já que normalmente estará até desconfortável jogando a mesa final.

 

5- Caso seja o líder em fichas, proponha um deal por chip chop 

No acordo por chip chop (divisão de acordo com o número de fichas), normalmente, os jogadores que estão liderando em fichas ficam com uma parcela muito boa do prêmio. Assim, esse tipo de divisão privilegia quem está liderando no momento do acordo. A maioria dos regulares não topam esse tipo de acordo quando estão com poucas fichas, pois ele vai garantir muito pouco a mais para os short stacks, valendo a pena para eles não fazer acordo e arriscar. No entanto, muitos jogadores (principalmente em torneios ao vivo) não sabem ou não percebem isso e topam o acordo mesmo assim.

 

6- Caso seja um dos shorts, proponha um deal por ICM.

Todos sites oferecem números de chip chop ou ICM se os jogadores pedirem, e a maior parte dos diretores de torneios ao vivo também. Nesta outra forma (ICM), é levada em conta a chance que cada jogador tem de chegar em cada lugar baseado no número de fichas.

Esse tipo de divisão costuma ser generosa com os short stacks, pois consideram que eles têm chance de vencer o torneio. É o tipo mais comum de acordo entre regulares, mas muitos regulares, quando estão liderando, pedem algo a mais que o ICM, pois o ICM não leva em consideração a pressão que um líder em fichas pode colocar na mesa. Assim, estando short stack é uma ótima ideia propor ICM, e quando for líder é bom pedir chip chop ou algo intermediário.

 

É isso, espero que utilizem as dicas frequentemente em futuras mesas finais, ou melhor, apenas as que eu não esteja presente também (risos).

 

Vejo vocês nas mesas.

Ivan Santana




NESTA EDIÇÃO


EDIÇÃO 91

Ano 8 - Fevereiro, 2015

ASSINE JÁ! ÍNDICE COMPLETO
Aumente seu stack agora! Stack fichas
Fichas de Poker
Fichas Nupano - Compra e venda de fichas online



30% de desconto em todos os livros de poker. Até 3x sem juros. Você ainda ganha baralho Copag.

NEWSLETTER

Receba nossas novidades em seu e-mail.


A CardPlayer Brasil™ é um produto da Raise Editora. © 2007-2017. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização.

Lançada em Julho de 2007, a Card Player Brasil reúne o melhor conteúdo das edições Americana e Européia. Matérias exclusivas sobre o poker no Brasil e na América Latina, time de colunistas nacionais composto pelos jogadores mais renomados do Brasil. A revista é voltada para pessoas conectadas às mais modernas tendências mundiais de comportamento e consumo.

Sede: Rua Stela de Souza, 54 - Sagrada Família - Belo Horizonte/MG - CEP: 31030-490
contato@cardplayer.com.br
31 3225-2123
LEIA TAMBÉM!×