EDIÇÃO 54 » ESTRATÉGIAS E ANÁLISES

Tudo no pano

Com quais mãos você pode ir All-in antes do Flop?


Diógenes Malaquias

Muitas vezes, ao recebermos mãos fortes, nossa vontade é empurrar todas as fichas para o centro da mesa sem pensar duas vezes. Isso é correto do ponto de vista técnico? A resposta é típica do poker: depende. Entenda as situações em que ir all-in pré-flop é de fato lucrativo.

Em nossa mesa hipotética, todos os jogadores têm 100 big blinds. Nessas condições, o all-in pré-flop costuma acontecer da seguinte maneira: o jogador A aposta entre 3 e 4 blinds, e B aplica a famosa 3-bet de 10 a 14 blinds. Agora, o jogador A dispara entre 22 e 30 blinds, e B aposta todo o seu stack de 100 blinds.

Alguns de vocês devem estar se perguntando qual a razão dessa seqüência de aumentos para só então ir all-in. Por que não colocar tudo direto no raise do adversário, em vez de voltar entre 10 a 14 blinds? Ou por que não empurrar all-in no lugar de reaumentar de 22 a 30 blinds? Ambas as perguntas têm a mesma solução.

Ao disparar uma 3-bet ou 4-bet em vez de ir all-in de uma vez, você utiliza a menor quantidade de fichas necessárias para fazer o adversário desistir de blefar, enquanto equilibra seu range entre mãos fortes e blefes sem precisar colocar todo o seu stack em risco. Além disso, diante de um all-in, seu oponente só pode pagar ou fugir. Com uma 3-bet ou 4-bet, porém, ele talvez continue apostando com cartas piores. É como se você entregasse a corda para ele se enforcar.



Levando em conta a dinâmica do jogo, qual a gama de mãos ideal para ir all-in antes do flop quando estiver diante de re-reaumento, a chamada “4-bet”?

Imagino que os iniciantes estejam de olhos arregalados, esperando sedentos pela resposta. Já aqueles que têm um pouco mais experiência, devem ter pensado em algo como JJ, QQ, KK, AA e AK (gama que, no poker, pode ser descrita simplesmente como JJ+ e AK). Pois bem, esse realmente tem sido o range padrão há muitos anos. Só não me pergunte o motivo, porque não vejo sentido nisso.

Curiosamente, os jogadores costumam ter essa mesma gama quando disparam uma 4-bet e depois pagam um all-in. Perceba que eles estão condicionados a ir all-in e a pagar um all-in com as mesmas mãos. Em bom “pokerês“, isso está errado porque contraria o Conceito de Gap, que afirma que é preciso ter uma mão mais forte para pagar um aumento do que para fazer um aumento. Mas esse papo fica para outro artigo.

Voltando à nossa situação, o único argumento aceitável para os jogadores agirem dessa forma, é porque eles consideram essas cartas fortes o bastante para arriscar todas as fichas antes mesmo do flop. Nem preciso dizer que isso não se baseia na lógica, muito menos na matemática do jogo.

Então, qual é a gama recomendável para ir all-in pré-flop quando estiver diante de uma 4-bet? Talvez sejam mais mãos do que você esteja esperando. É possível empurrar todas as fichas para o centro da mesa com AJs+, AQo+, TT+ e pares pequenos, de 2-2 a 6-6. (Lembrando que o “s” quer dizer suited, ou do mesmo naipe; e o “o” vem de offsuited, ou naipes diferentes).



São três as razões pelas quais essa festa toda é permitida:
- O range para ir all-in precisa ser maior do que aquele com que o adversário paga o all-in. Quando somos nós que empurramos todas as fichas, temos “equidade de fold”, que é a capacidade de desistir das mãos e ainda assim continuar vivo no jogo. Isso faz com que você ganhe fichas, várias vezes, quando a 4-bet do oponente não passar de um blefe.

- Para poder ir all-in com essas cartas, você precisa ter feito um reaumento com elas. Em muitas ocasiões, eles vão pagar essa sua 3-bet com mãos mais fracas, dominadas, fazendo com que a jogada seja lucrativa. Na linguagem do poker: “O range amplo de all-in fortalece seu range de 3-bet”.

 - Seus oponentes vão pirar quando perceberem que você está indo all-in com mãos como 6-6 ou A-J de naipes diferente. Isso vai fazer com que eles ampliem a gama com que pagarão o seu all-in, um erro caro da parte deles. O certo seria que começassem a pagar com TT e AQs, mas vocês vão encontrar sujeitos desesperados, querendo ganhar de você com AJs, 8-8 e por aí vai.

Como diria David Sklansky, “o poker parece raso na superfície, mas quando você mergulha, percebe a profundidade e a beleza do jogo”. O all-in pré-flop é o tipo de assunto que reforça esse raciocínio. E o conhecimento que você acabou de adquirir é um colete salva-vidas que lhe dá segurança para saltar nessas águas. Sem medo de se afogar.





NESTA EDIÇÃO



A CardPlayer Brasil™ é um produto da Raise Editora. © 2007-2019. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização.

Lançada em Julho de 2007, a Card Player Brasil reúne o melhor conteúdo das edições Americana e Européia. Matérias exclusivas sobre o poker no Brasil e na América Latina, time de colunistas nacionais composto pelos jogadores mais renomados do Brasil. A revista é voltada para pessoas conectadas às mais modernas tendências mundiais de comportamento e consumo.

Sede: Rua Stela de Souza, 54 - Sagrada Família - Belo Horizonte/MG - CEP: 31030-490
contato@cardplayer.com.br
31 3225-2123
LEIA TAMBÉM!×