EDIÇÃO 4 » COMENTÁRIOS E PERSONALIDADES

Você Está Emocionalmente Preparado Para Vencer? - Parte II

Avaliando corretamente suas emoções


Alan Schoonmaker

Na parte I dissemos “Você deve sempre estar em contado e no controle de suas emoções”. Meu co-autor, Preston Oade, desenvolveu um sistema que irá ajudá-lo a:

• Medir sua temperatura emocional antes e durante o jogo
• Entender como várias emoções influenciam sua jogada

Antes de Jogar
Faça perguntas para determinar seus sentimentos e tente respondê-las com honestidade. Iremos sugerir algumas questões, mas você deve personalizar essa lista por meio da tentativa e do erro. As emoções são tão individuais que aquelas que ajudam ou prejudicam nosso jogo podem não afetar o seu.

Eu Estou “Para Cima” ou “Para Baixo?”
Essa pergunta é a mais genérica e importante. Você pode usar palavras diferentes, tais como: Eu me sinto bem ou mal? Ansioso ou relaxado? Confiante ou inseguro? Um poker vencedor requer determinação, e não há como ser decisivo se sentindo mal. Você pode pedir mesa quando devia apostar ou pagar quando devia aumentar. Seus oponentes mais perceptivos irão reconhecer e explorar sua indecisão. Se você estiver mal, não jogue.

Eu Estou Olhando Para Frente ou Para Trás?
Aprenda com seus próprios erros, mas não insista neles. Se você não estiver de bem com sua sorte ou com seu estilo atual, pare de pensar nisso e se concentre no que deve ser feito em seguida. Se você não puder se concentrar no mesmo instante, não jogue.

Eu Estou Comprometido Com a Vitória?
Jogadores vencedores sabem por que estão jogando e estão determinados a ganhar. Outros jogam para socializar, apostar, sentir a adrenalina de desafiar jogadores difíceis ou simplesmente relaxar. Se não estiver comprometido com a vitória, você pode prosseguir com draws fracos, pagar quando sabe que será derrotado e fazer outras jogadas ruins. Com compromisso você jogará muito mais como um vencedor. Se não for assim, não jogue, a não ser por diversão.

Até Que Ponto Eu Consigo Ficar Concentrado? 
Essa questão é particularmente importante para jogadores de torneios, já que essas competições podem durar muitas horas. Se você não tiver o tempo e o vigor necessários para jogar o suficiente para conseguir o primeiro lugar, não jogue. 

Eu Me Distraio Com Alguém ou Alguma Coisa?
Geralmente nos distraímos antes do jogo com amigos, família, tráfego, etc. Você não pode jogar bem pensando em outra coisa ou se estiver zangado ou irritado com alguém. Se você estiver tão distraído que não consegue se concentrar no jogo, não jogue.

Eu Tenho Desculpas Para Perder?
Descubra quais são antes de jogar. Você pode ter:
•  Outros compromissos naquele momento
•  Problemas familiares que o pressionam
•  Uma péssima noite de sono
•  Um dia difícil no trabalho

Se você não puder se esquecer desses assuntos ou lidar com eles antes de jogar, não jogue.

Durante o Jogo
Como as emoções podem se tornar um problema a qualquer momento, você deve permanecer em contato com elas durante o jogo. Monitore o modo como seus sentimentos mudam e como eles afetam seu poker.

Ocasionalmente (talvez a cada uma ou duas horas) refaça as perguntas listadas acima, pois elas também são aplicáveis durante o jogo. Ainda que você esteja muito bem antes de começar a jogar, suas emoções podem mudar rapidamente. Por exemplo, se você sofreu um bad beat e não consegue parar de pensar nisso, poderá perder, por estar jogando mal, muito mais do que a quantia daquele pote. Se você sentir muita raiva ou tristeza por qualquer motivo, e não puder superar esses sentimentos, saia. Você também deve se perguntar pelo menos mais duas questões:

Qual Minha Opinião Sobre Meus Oponentes?
Eu Acredito Que Jogo Melhor do Que Realmente Jogo? Perceba o uso da palavra “acredito”. Quando você se compara aos outros, há um componente objetivo e intelectual e outro emocional, que geralmente domina sua capacidade de julgamento, às vezes com efeitos desastrosos.

Se você estiver confiante, provavelmente jogará bem. Caso se sinta excessivamente confiante, é provável que entre em muitos potes e corra muitos riscos. Se os oponentes parecerem muito fortes, você pode ser o weak-tight, e eles provavelmente irão derrotá-lo.

Alguém me irrita? Você pode exagerar na tentativa de derrotar alguém, e entregar suas fichas a ele ou a outros jogadores. Ou sua irritação pode fazer com que você se distraia e passe a jogar sem cautela.

Eu sinto pena de alguém? Piedade, simpatia e empatia fazem de nós pessoas mais gentis, mas poker não é um jogo de gentilezas. Se você sente algo assim por alguém, pode deixar de ganhar dinheiro por não apostar ou aumentar adeqüadamente, e até mesmo perder um grande pote porque não protegeu sua mão.

Tente se livrar desses sentimentos. Se eles forem muito fortes para serem ignorados, saia.

Por Que Eu Fiz Aquilo?

Sempre que você fizer uma jogada que normalmente não faria, em especial um erro, questione seus motivos. Você geralmente identificará quais motivos irracionais e emoções o afetaram.

• Você jogou com cartas fracas porque estava entediado, com raiva, acreditava estar com sorte, achava que merecia ganhar, ou aquele K-10 de naipes diferentes parecia ótimo depois de 9-3, 7-2, J-4, e assim por diante.
• Você deu raise porque ficou irritado.
• Você queria desafiar alguém, talvez para mostrar que é “macho” ou para provar alguma coisa a si mesmo ou aos outros.

Muitos jogadores não querem examinar seus motivos. Eles procuram desculpas dando boas razões para suas ações, em vez de procurar as verdadeiras. Por exemplo, um amigo descreveu um jogador como “o melhor jogador de no-limit hold’em de $2-$5 que ele já tinha visto”. Esse excelente jogador aumentou do UTG e meu amigo pagou do button com K-J do mesmo naipe. Depois de descrever a ação no flop e no turn, ele me perguntou o que deveria ter feito.

Eu dei a resposta óbvia: “Por que você pagou o raise do cara com uma mão marginal?”

Ele disse: “Eu achei que podia ganhar dele depois do flop”.

“Você não acabou de dizer que ele era o melhor jogador de no-limit hold’em de $2-$5 que você já tinha visto?”

“É, mas... ah, bem... ah.” Depois ele se irritou e disse que estava em boa posição, que é preciso jogar contra jogadores melhores para desenvolver seu próprio jogo, e outras coisas sem sentido. Eu realmente não sei porque ele se envolveu na jogada, mas tenho certeza de que o desejo dele de desafiar um jogador forte foi um dos fatores, e poker não pode girar em torno de desafios machistas; a questão central é ganhar dinheiro.

Conclusão
Avaliar corretamente suas emoções antes de jogar é sempre importante, mas — pelas razões descritas na Parte I — é um fator fundamental em torneios. Além disso, depois do buy-in você está comprometido. Você pode sair de um cash game, mas sair de um torneiro é desperdiçar o buy-in.

Se você duvida que seu estado emocional afeta seu jogo, tome nota de seus sentimentos, relacione-os a suas jogadas, e procure padrões. Por exemplo, você pode perceber que estar com raiva de seu chefe não afeta seu jogo, mas que seu emocional desmorona depois de brigar com sua esposa. Se você tomar várias notas e estudá-las, saberá quando deve jogar e quando deve ir para casa.

Depois que começar a jogar, continue a monitorar seu estado emocional. Se você achar que está perdendo o controle, saia (se possível) ou faça o que for preciso para recuperar seu equilíbrio. Nossa próxima coluna recomendará maneiras de se readquirir a estabilidade emocional.




NESTA EDIÇÃO



A CardPlayer Brasil™ é um produto da Raise Editora. © 2007-2019. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização.

Lançada em Julho de 2007, a Card Player Brasil reúne o melhor conteúdo das edições Americana e Européia. Matérias exclusivas sobre o poker no Brasil e na América Latina, time de colunistas nacionais composto pelos jogadores mais renomados do Brasil. A revista é voltada para pessoas conectadas às mais modernas tendências mundiais de comportamento e consumo.

Sede: Rua Stela de Souza, 54 - Sagrada Família - Belo Horizonte/MG - CEP: 31030-490
contato@cardplayer.com.br
31 3225-2123
LEIA TAMBÉM!×