EDIÇÃO 31 » ESTRATÉGIAS E ANÁLISES

Par de Damas em No-Limit Hold’em

Quando ser agressivo e quando tomar cuidado


Bob Ciaffone

Pares de damas são fáceis de jogar pré-flop em no-limit hold’em quando se tem um estoque muito pequeno. Se você tiver 25 big blinds ou menos, faça de conta que tem dois ases (e não está disposto a dar slowplay com eles). Você tem o terceiro nuts, mas quando suspeitar que a mão não valer a pena, estará muito envolvido para pisar no freio. Portanto, a receita do poker é ir com força total e torcer para que dê certo.

Damas compõem uma mão muito mais interessante quando há bastante dinheiro. Para efeito de discussão, suponha que você e todos os outros jogadores tenham estoques de 100 big blinds, e que não haja ante. Essa, é claro, seria uma situação comum em um cash game de limites médios ($5-$10 a $25-$50).

Eu vou fazer uma ressalva antes de prosseguir. É assim que eu jogo com duas damas, e como muitos profissionais jogam. Se você vir o flop com metade das mãos que recebe, os oponentes vão esperar que você tenha um lixo, o que faz com que você tenha uma surpresa bastante inesperada e desagradável para eles. Eu normalmente vejo apenas um ou dois flops por órbita (excluindo os blinds). Nesse contexto, duas damas ainda são uma mão acima da média, mas meus oponentes esperam que eu tenha algo decente. Obviamente, “decente” antes do flop pode virar um lixo quando o flop vem.

Eu posso fazer com duas damas algo diferente do que estou propondo nesta coluna, mas, se fizer, é porque meu oponente não é um jogador típico em sua abordagem do jogo. Quando vario, é porque meu oponente é um maníaco ou uma superrocha.

Eu não lembro a última vez que não dei raise pré-flop com um par de damas. Embora eu não encoraje o uso da palavra “automático” para qualquer coisa relacionada à estratégia do poker, o que você faz pré-flop em um pote não aumentado parece um pouco automático quando se trata de par de damas: você aumenta.



Se o pote for aumentado antes de mim por outro jogador, a primeira coisa que eu analiso é a posição dele. Eu adoro jogar boas mãos de no-limit hold’em em posição, então raramente volto reraise quando seguro damas. Para mim, não faz muito sentido dar reraise se você vai “sair correndo e largar as crianças”, como diria Doyle Brunson. Quando eu dou reraise pré-flop em posição, faço isso com a intenção de jogar por todo meu dinheiro se meu oponente estiver disposto a tal. Com um grande estoque de 100 big blinds, eu quero algo melhor que damas para apostar toda a minha grana. Em outras palavras, eu preciso de ases ou reis. Reaumentar e dar fold não é uma sequência de apostas que eu utilize muito quando tenho posição.

Fora de posição a coisa muda. Eu fico mais disposto a ganhar um pequeno pote porque voltei reraise do que perder um grande pote porque não voltei. Se meu oponente abrisse raise de posição final e eu estivesse em um dos blinds, ele poderia ter uma enorme gama de mãos. Eu prefiro dar reraise em vez de participar de jogos de adivinhação. Se ele revidar com outro reraise, tenho uma difícil decisão em mãos.

Se um jogador sólido abrir raise de posição inicial, por mais que eu quisesse detoná-lo e acabar logo com a mão, eu acho que um reraise é muito arriscado. Diante de um raise de posição intermediária quando estou nos blinds, eu não tenho uma política clara, e presto muito mais atenção a fatores como quem ele é, se ele está estagnado ou ganhando, e assim por diante.

Eu vejo que o estilo atual de muitos jovens é voltar reraise com mãos além de ases, reis ou A-K. Ainda assim, dar call num reraise com damas é um negócio arriscado. Eu não quero colocar 10% ou mais do meu estoque, pois esse não é o preço correto para tentar flopar uma trinca. Portanto, acho que você precisa ir adiante ou dar fold quando um call for colocar 10% ou mais do seu estoque comprometido. Com damas, é tentador pagar e prosseguir com sua mão se nenhuma overcard tiver aparecido no flop. Mas o que isso faz é impedir uma grande perda para A-K. Isso não lhe salva de ases ou reis, nem lhe permite ganhar de valetes ou dez.

A razão por trás de eu ser tão conservador com damas quando tenho muitas fichas é meu desejo de evitar a síndrome de “grande azarão, modesto favorito”. Se é provável que você esteja enfrentando ases, reis ou A-K, você é um azarão de mais de 4-1 contra um dos grandes pares, e favorito de cerca de 11-9 contra A-K. Então, mesmo que dê a sorte de estar enfrentando A-K, você está numa situação ruim.



Agora que discutimos a teoria, vamos analisar algumas situações concretas e ver o que fazer na prática. Suponhamos que você está jogando com blinds de $5-$10 sem ante e, é claro, tem um par de damas.
1. Trata-se de um cash game live de no-limit hold’em. Você tem mil dólares e está no big blind. Três jogadores que têm estoques maiores que você entram de limp das posições under the gun, hijack e button. O small blind, que tinha um short stack de $250, dá raise para $75. O que você deve fazer?

Resposta: a questão é se você deve apenas dar call ou reaumentar. Se pagar, pode muito bem atrair os outros. No flop, o short stack vai ter $175 restantes com um pote de $375. Você pode ter plena certeza de que ele vai fechar os olhos, torcer que aconteça o melhor e ir all-in. Essa é uma situação perigosa e altamente insatisfatória para você. Uma overcard, especialmente um ás, pode não lhe derrotar, mas torna um call uma opção não atraente, muito embora você tenha a melhor mão. Mesmo que consiga o que parece ser um bom flop com três undercards em relação a suas damas, como jogar a mão? Você realmente vai ter cuidado e apenas pagar, dando aos outros jogadores uma carta barata em um pote grande? Eu acho que a jogada pré-flop mais segura e melhor é voltar reraise.

2. Você está no button com duas damas vermelhas e tem cerca de mil dólares em fichas. Os outros jogadores têm estoques similares ao seu. O jogador under the gun dá call, alguns jogadores dão fold e o cutoff dá raise para $50. O que você deve fazer?

Resposta: eu prefiro apenas pagar. Esse não é um bom momento para querer aparecer. O jogador under the gun pode ter entrado de limp com um par alto. O cutoff tem uma boa mão quando dá raise diante de um único limper under the gun.

A conclusão com duas damas é que você deve ser agressivo pré-flop com um short stack, e cauteloso pré-flop com um estoque grande.




NESTA EDIÇÃO


EDIÇÃO 31

Ano 3 - fevereiro, 2010

ASSINE JÁ! ÍNDICE COMPLETO
Aumente seu stack agora! Stack fichas
Vem aí o WPT Uruguai no Enjoy Punta del Este!
Fichas Nupano - Compra e venda de fichas online

NEWSLETTER

Receba nossas novidades em seu e-mail.


A CardPlayer Brasil™ é um produto da Raise Editora. © 2007-2017. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização.

Lançada em Julho de 2007, a Card Player Brasil reúne o melhor conteúdo das edições Americana e Européia. Matérias exclusivas sobre o poker no Brasil e na América Latina, time de colunistas nacionais composto pelos jogadores mais renomados do Brasil. A revista é voltada para pessoas conectadas às mais modernas tendências mundiais de comportamento e consumo.

Sede: Rua Stela de Souza, 54 - Sagrada Família - Belo Horizonte/MG - CEP: 31030-490
contato@cardplayer.com.br
31 3225-2123
LEIA TAMBÉM!×