EDIÇÃO 17 » MISCELÂNEA

Mentes Brilhantes: Confrontos entre mãos


Hugo Mora

Continuando a série sobre a matemática envolvida em uma mesa de Texas Hold’em, no artigo deste mês vou falar sobre os percentuais de chance de vitória em situações de all-in pré-flop. São informações muito importantes, que todo jogador deve conhecer, pois ocorrem em demasia nos estágios finais de torneios, quando os blinds representam um valor significativo em relação aos estoques dos jogadores, principalmente dos short-stacks.

Os confrontos que irei analisar são os seguintes: par contra par, par contra duas cartas menores, par contra duas cartas maiores, par contra uma carta maior e uma menor, duas cartas maiores contra duas cartas menores, uma carta maior e uma menor contra duas cartas entre as duas, uma carta maior e uma do meio contra uma carta menor do que a maior e outra menor do que a do meio e mãos dominadas. Para cada uma delas vou citar alguns exemplos, as chances percentuais aproximadas e o favoritismo aproximado da melhor mão.

Par contra par – AA x QQ, TT x 55, KK x 22, etc.
Em confrontos de par contra par, o maior tem uma grande vantagem sobre o menor, com aproximadamente 80% de chances de vitória no showdown. Quanto mais distanciados estiverem os dois pares, e o menor mais próximo das cartas de valor intermediário, melhores (ou “menos piores”) suas chances. O par maior é favorito em aproximadamente 4-para-1.

Par contra duas cartas menores – AA x KT, TT x 87, KK x QT, etc.
Neste tipo de confronto, o par maior terá aproximadamente 82% de chances de vencer o showdown. Este percentual poderá variar entre 88% e 76% de chances de vitória, dependendo das cartas. O par é favorito em aproximadamente 4,5-para-1.

Par contra duas cartas maiores – QQ x AK, 99 x JT, 22 x 98, etc.
Esta é a clássica moedinha, ou “coin flip”. Na verdade, o par é quase sempre ligeiramente favorito contra as duas cartas maiores. Na média, ele tem aproximadamente 53% de chances de vencer o showdown. No caso de um par pequeno contra duas cartas conectadas do mesmo naipe e bem distanciadas do par, a ligeira vantagem muda de lado, e passa a ser das duas cartas maiores (ex: 22 x QJs). O melhor é simplesmente considerar que não há favorito, ou seja, 1-para-1.

Par contra uma carta maior e uma menor – QQ x AT, 88 x A7, KK x A2, etc.
Este tipo de situação acontece muito em estágios finais de torneios. Quando os blinds estão altos e alguns jogadores estão com o stack pequeno, muitas vezes eles decidem empurrar all-in com qualquer mão com um ás ou rei. O par terá aproximadamente 70% de chances de vencer o showdown, ou seja, pouco maior do que 2-para-1.

Duas cartas maiores contra duas cartas menores – AQ x JT, T9 x 75, KQ x J9, etc.
No caso de duas cartas maiores contra duas menores, os percentuais exatos terão uma maior variação, mas geralmente vencerão por volta de 60% das vezes. Muitos jogadores não sabem disso, e acabam se surpreendendo quando alguém lhes diz que uma mão como 87 tem 40% de chances de vencer de AK. Em um caso desses, em geral, quem acertar um par leva o pote. Considere então 3-para-2 a favor das duas cartas maiores.

Uma carta maior e uma menor contra duas cartas entre ambas – A5 x KQ, 96 x 87, A9 x QT, etc.
Normalmente, este é outro caso em que aquele que acertar um par leva o pote. A mão com a carta maior terá entre 52% a 60% de chances de vencer. Grande parte da vantagem da mão com a carta maior vem das vezes em que ninguém acertar nenhum par. Considere que nestes confrontos a mão com a maior carta leva uma vantagem de 3-para-2.

A maior e a terceira maior cartas contra a segunda maior e a menor cartas – KT x Q9, A5 x Q4, Q8 x J6, etc
Dependendo das cartas, os percentuais de vitória nessa situação variam bastante: se estão conectadas, se são do mesmo naipe, se interferem em possíveis seqüência do adversário, etc. Em geral, considere também que a mão com a maior carta tenha um favoritismo de aproximadamente 3-para-2 sobre a outra.

Mãos dominadas – AK x AQ, KQ x KT, 98 x 97, etc.
Uma mão está dominada quando as maiores cartas de cada jogador são iguais, mas a outra é mais fraca do que a menor do adversário. A mão dominante tem cerca de 75% de chances de vitória contra a dominada, ou seja, o favoritismo é de mais ou menos 3-para-1.

Como disse no início deste artigo, é muito importante que o jogador de Texas Hold’em conheça esses percentuais. Assim, ele saberá como uma mão se comporta no showdown em um all-in pré-flop, contra as possíveis mãos dos adversários. Em estágios finais de torneios multi-table, os blinds atingem um determinado nível que faz com que a maioria das apostas aconteça pré-flop, ocorrendo muitas situações de all-in antes que qualquer carta comunitária seja aberta na mesa.

Existem milhares de combinações de confrontos entre mãos, e memorizar os percentuais exatos de cada um deles é praticamente impossível. Por outro lado, conhecer os valores aproximados desses embates é fácil, pois são apenas oito tipos, todos trabalhados neste artigo. Se quiser se tornar um bom jogador de Texas Hold’em, faça sua parte: conheça-os!




NESTA EDIÇÃO



A CardPlayer Brasil™ é um produto da Raise Editora. © 2007-2018. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização.

Lançada em Julho de 2007, a Card Player Brasil reúne o melhor conteúdo das edições Americana e Européia. Matérias exclusivas sobre o poker no Brasil e na América Latina, time de colunistas nacionais composto pelos jogadores mais renomados do Brasil. A revista é voltada para pessoas conectadas às mais modernas tendências mundiais de comportamento e consumo.

Sede: Rua Stela de Souza, 54 - Sagrada Família - Belo Horizonte/MG - CEP: 31030-490
contato@cardplayer.com.br
31 3225-2123
LEIA TAMBÉM!×