EDIÇÃO 13 » COLUNA NACIONAL

Omaha High/Low – Parte III

Dicas Avançadas


Igor Federal

Depois da pausa para a WSOP, vamos retomar a série de artigos sobre Omaha Hi/Lo. Nos dois primeiros textos discutimos, respectivamente, “regras e noções básicas”, e “starting hands e dicas inicias”. Neste terceiro artigo, falaremos sobre algumas dicas mais avançadas dessa modalidade.

Vamos a elas:

6-7-8-9
No Omaha tradicional, sair com 5-6-7-8, 6-7-8-9, 7-8-9-T, etc., são excelentes jogos pré-flop. Já no Omaha hi/lo são mãos fracas. Afinal, por mais que você faça uma seqüência para o high, alguém levará a outra metade do pote com um low.

Se o bordo vier 4-5-7, parabéns, você tem o high, mas alguém deve estar levando o low.

A questão é que, se uma carta dobrar na mesa e alguém fizer um full house, você perde tanto o high quanto o low. A mesma coisa acontece se abrirem três cartas de mesmo naipe e alguém acertar um flush, ou ainda se você receber 4-5-K, um bom draw para o high que, se não bater, também faz você perder o high e o low.

Ou seja, em Omaha Hi/Lo, o jogo mais alto e o mais baixo ganham. Desse modo, cartas médias são ruins, já que não lhe dão segurança nem para um lado nem para o outro. E mesmo que elas sejam conectadas para você fazer um straight, alguém levará os outros 50% do pote. Portanto, não são cartas fortes, mesmo conectadas, pois, se tudo der certo, você levará meio pote.

Uma única exceção para essas cartas é quando uns seis jogadores estiveram na mão. Aí vale a pena ver o flop, pois ao acertar sua seqüência, os outros cinco oponentes lutarão desesperados pelo low e você pode levar o high sozinho. Mas é preciso acertar o flop perfeitamente, senão as chances de perder com essas mãos serão maiores do que as de ganhar.

Blefe
Blefar em Texas Hold´em exige muita habilidade, mas acontece com uma freqüência razoável. no Omaha tradicional isso é bem mais complicado, pois, com 4 cartas na mão, quase sempre alguém lhe pagará com um jogo razoável ou um bom draw. Logo, blefar se torna bem mais raro.

Já em Omaha Hi/Lo é quase impossível blefar, vez que se trata de um jogo de quatro cartas em que, para complicar, a melhor e a pior mão levam parte do pote. O blefe é algo raríssimo. Você encontrará um pagador em 85% a 90% das vezes. Mas muito cuidado: Omaha Hi/Lo não é um jogo de blefes. É um jogo de leitura (“quem está jogando para o high e quem está para o low”), percepção (“estou levando o high sozinho e meus adversários estão se matando pelo low”), matemática (eu tenho X% de chances de levar tanto para cima quanto para baixo e Y% de levar ou para cima ou para baixo) e capacidade de extrair fichas na hora certa e do modo correto, baseado nos itens acima.

Só blefe em Omaha Hi/Lo depois de muitas horas de vôo, pois, nessa modalidade, exige-se muito mais habilidade e menos freqüência do que nas demais variantes do poker.

Em fases avançadas de torneios a situação muda um pouco, mas falaremos disso adiante.

Só tenho um bom jogo para o low no flop. O que fazer?
Você foi para a mão com A-2-7-J. O flop vem 3-6-8. Você acertou o nut low, mas não tem nada para o high. Como se deve jogar? Algumas pessoas cometem o erro de dar raises e reraises até o limite máximo, pois estão com o nut low – não faça isso.
Se estiver contra outros dois jogadores na mão, provavelmente alguém pode estar com um A2 também (às vezes, até os dois podem estar com A2). Então, se você ficar crescendo demais o pote, alguém levará 50% do high – que certamente não será você – e vai acabar dividindo o low com mais um ou mesmo dois jogadores. Sem contar a chance de fazer um pote monstruoso e depois, no turn, bater seu A ou o seu 2 e você ficar um jogo mais fraco para o low e com um par para o high, podendo perder para cima e para baixo.

Recomendo jogar da seguinte forma: aposte (afinal você tem o nut low). Se tomar call e call, aposte de novo no turn. E assim por diante. Mas se você apostar e tomar um reraise forte, só dê call. E a partir desse momento jogue dando check e call.

Tudo muda de figura se existirem cinco ou mais jogadores no pote. Nesse caso, por mais que você leve somente o low (e ainda divida isso com mais um jogador – ou até dois), em geral, estará ganhando. Ou seja, você e mais cinco oponentes estão apostando, então, sua contribuição equivale a contribuindo com 1/6 do pote formado (ou 16%).

Se levar o low sozinho, ganhará 50%; se dividir o low com mais um, levará 25% do pote e; se dividir o low com mais dois (o que é raro, mas pode acontecer quando houver seis jogadores apostando e pagando incessantemente), ainda assim levará 16% do pote.

Ou seja, na pior das hipóteses você empata, recebendo de volta o que apostou. Mas, na maioria das vezes, deve ganhar mais do que o investido. Nesses raros casos você pode ir até o limite do pote, com raises e reraises infinitos, somente com uma mão para o low.

Ganhando dinheiro em Cash Game de Omaha Hi/Lo
Fazer dinheiro em cash games de Omaha Hi/Lo é demorado. É um jogo em que muitas vezes o pote é dividido entre você e seu adversário, simplesmente devolvendo o valor da aposta feita, mas tendo perdido a comissão do site ou do cassino.

Em compensação, se você for um grande jogador dessa variante, encontrará poucos oponentes à sua altura. Portanto, se decidir jogar cash games, saiba que sua lucratividade será lenta. Se você se tornar um especialista, a escalada também será lenta, mas bem mais constante e segura do que em qualquer outra modalidade.


Torneios de Omaha Hi/Lo
Um jogador de Omaha High/Low que pretenda se dedicar a torneios deve utilizar todos os pontos fundamentais citados nesta série de artigos, acrescido de três diferenças básicas:

a) Assim como no Omaha tradicional, não seja muito ativo no início dos torneios. Não comprometa grande parte do seu stack vendo flops com mãos medianas, aceitáveis ou razoáveis. Só faça isso se sua mão for realmente excelente. Os blinds estão baixos e não vale a pena brigar desesperadamente com mãos inseguras.

b) Quando os blinds sobem em torneios de Omaha Hi/Lo, a agressividade aumenta violentamente. Já que em Omaha Hi/Lo o pote é divido entre a melhor e a pior mão, atacar o blind muitas vezes lhe dará um jogo melhor que o do seu adversário, para cima ou para baixo, mesmo que sua mão não seja nenhum primor. Numa mesa short-handed de Omaha Hi/Lo, quase sempre o pote é dividido. Desse modo, ataque os blinds com mãos como 2-3-T-K, A-4-6-J, Q-Q-2-6, A-5-K-T e assim por diante. O que vier no flop irá determinar a continuidade da mão.

c) Em torneios fixed limit, roubar os blinds é bastante complicado, pois sua aposta fica limitada a 2x o blind. Então só ataque os blinds, no mínimo, com a retaguarda das mãos citadas acima, pois você será chamado com muita freqüência.

d) Em torneios pot limit, pode-se tentar roubar com um pouco mais de “descaramento”, desde que em boa posição. Mas se lembre de que você receberá freqüentemente receberá um call. Se o bordo lhe ajudar para cima ou para baixo, seja bastante agressivo nessa altura do torneio, apostando pesado com um jogo forte somente para cima ou somente para baixo. A reação de seu adversário determinará a melhor forma de continuar jogando a mão.

Good Luck!!!
Igor “Federal” Trafane é presidente da Confederação Brasileira de Texas Hold´em (CBTH).




NESTA EDIÇÃO



A CardPlayer Brasil™ é um produto da Raise Editora. © 2007-2019. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização.

Lançada em Julho de 2007, a Card Player Brasil reúne o melhor conteúdo das edições Americana e Européia. Matérias exclusivas sobre o poker no Brasil e na América Latina, time de colunistas nacionais composto pelos jogadores mais renomados do Brasil. A revista é voltada para pessoas conectadas às mais modernas tendências mundiais de comportamento e consumo.

Sede: Rua Stela de Souza, 54 - Sagrada Família - Belo Horizonte/MG - CEP: 31030-490
contato@cardplayer.com.br
31 3225-2123
LEIA TAMBÉM!×