EDIÇÃO 118 » COLUNA INTERNACIONAL

Guerra de Blinds em Torneios Deepstack


Doug Polk
As batalhas entre small blind (SB) e big blind (BB) são situações bem específicas no poker. Na maioria dos potes, o SB é forçado a se colocar em uma situação bem estranha, entre o agressor pré-flop e o BB, e ambos estarão fora de posição caso decidam defender. No entanto, quando a ação chega em fold até o SB, a dinâmica muda drasticamente. Agora, o SB é quem dita o ritmo, e o BB é quem é pressionado, embora tenha a vantagem da posição. Neste artigo, falarei sobre algumas estratégias a serem utilizadas nesse tipo de confronto em torneios deep stack.

Jogando do Small Blind

Como small blind, a primeira coisa a ser feita quando a ação chega em fold até você é analisar o cenário. Faça uma profunda análise do jogado no BB. Se ele for mais tight, dar raise com mais frequência é uma boa opção para levar o pote pré-flop. Caso ele seja loose, jogar de maneira tight e um pouco defensiva será mais efetivo. Tente coletar toda a informação possível sobre seus adversários, o menor detalhe pode fazer diferença ao bolar uma estratégia vencedora.

Outro ponto é importante está nos antes. Se há ante em jogo é recomendável jogar de maneira mais agressiva, mesmo com as mãos mais fracas. Atacar o BB lhe permitirá levar não apenas as fichas que você e ele já colocaram, mas também os antes de todos na mesa. Isso faz com que seu raise torne mais mãos iniciais lucrativas. Porém, caso não haja antes, jogue mais conservadoramente. Afinal de contas, se você começar a dar raise todas as vezes do SB seus oponentes começarão a se ajustar e reagir.

Apenas completar do SB é uma opção negligenciada e subestimada, especialmente que as odds oferecidas são fantásticas. Levando em consideração seu próprio small blind, o big blind e os antes, você está conseguindo um excelente preço para colocar mais 0.5 big blind no pote. Algumas vezes, o BB vai aumentar com mãos marginais e lhe expulsar do pote, mas na maioria das vezes, o limp valerá o risco, já que a tendência é que o BB peça mesa e vocês dois vejam o flop.



Dito isso, lembre-se de utilizar essa estratégia com vários tipos de mãos. Se você entrar de limp com suas mãos médias e sempre aumentar com as fortes, seu oponente irá lhe explorar facilmente, dando fold quando você aumentar e aumentando quando você apenas completar. A abordagem perfeita seria ter um range balanceado de limp-call e limp-raise, mas essa é uma estratégia extremamente complexa e desnecessária, a menos que seu oponente seja um jogador muito forte. 

Se você decidir começar a entrar de limp do SB, não se esqueça de usar o limp-reraise tanto com mãos de valor e blefe. Se você apenas utilizar o reraise por valor, seus oponentes não lhe pagarão. Então, faça isso tanto com Ases como com 8-6 suited.

Jogando do Big Blind

 Como big blind, devo dizer com ênfase que defender-se de maneira correta é crucial. Diante de um raise, as odds do pote oferecidas a você serão muito sedutoras, especialmente tendo a vantagem da posição. Então, você pode dar call com um range bem amplo de mãos.

Contra um limp, o BB está em uma posição única para dar raise tanto para extrair valor quanto para blefar. Vamos dizer que o SB entrou de limp e você K-K. Você poderia, claro, aumentar para conseguir valor e construir um pote, mas você também poderia fazer isso com 3-2 de naipes diferentes, apenas para tentar levar o pote. Balancear seu range desta maneira faz com que você se torne um jogador imprevisível e com uma boa vantagem pós-flop.

Uma guerra de blinds pode ser complicada para novatos, já que a maioria das mãos não chega em fold até o SB. Porém, quando isso acontecer, ter uma estratégia sólida pode ser a diferença entre largar uma maio medíocre e conseguir o pote com essa mesma mão. Geralmente, a melhor jogada será jogar de maneira agressiva e recolher o dinheiro morto do pote para você.


NESTA EDIÇÃO



A CardPlayer Brasil™ é um produto da Raise Editora. © 2007-2019. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização.

Lançada em Julho de 2007, a Card Player Brasil reúne o melhor conteúdo das edições Americana e Européia. Matérias exclusivas sobre o poker no Brasil e na América Latina, time de colunistas nacionais composto pelos jogadores mais renomados do Brasil. A revista é voltada para pessoas conectadas às mais modernas tendências mundiais de comportamento e consumo.

Sede: Rua Stela de Souza, 54 - Sagrada Família - Belo Horizonte/MG - CEP: 31030-490
contato@cardplayer.com.br
31 3225-2123
LEIA TAMBÉM!×