EDIÇÃO 11 » FIQUE POR DENTRO

Card Player Pro: Overcards Nem Sempre Vencem


Dani Stern

Esta coluna irá abordar uma mão interessante que ocorreu durante uma sessão online de no-limit hold’em de $100-$200 no PokerStars.

O jogo contava com três participantes e era muito agressivo tanto pré quanto pós-flop. Isso é um tanto comum em mesas de no-limit hold’em online com apostas altas, especialmente com poucos participantes. Os outros jogadores na mesa eram ADZ124 e AKULA1. À época, eu não tinha uma boa leitura sobre Akula, que foi meu oponente nessa mão. Ele estava jogando bem e era bastante loose pré-flop quando se deparava com re-aumentos, e também via muitos flops com quase nada.


Akula1 aumentou do button para $600, que era o raise padrão dele. Eu re-aumentei do small blind para $2.200 com um par de dez e o big blind desistiu. Aluka pagou rapidamente. O flop foi um inocente 6-6-2 com duas cartas de copas. Eu apostei $3.200 no pote de $4.600.

Com essa aposta, eu tinha certeza de que Akula pagaria com qualquer par, e às vezes com apenas um ás também. É verdade que draws de ouros também forçariam um call, quiçá um aumento. Ele pagou.

O turn trouxe um rei de outro naipe. Embora essa seja uma overcard em relação ao meu par, ela é, na verdade, mais neutra do que se pode imaginar. Existem pouquíssimas mãos com as quais Akula teria pagado no flop que seriam ajudadas pelo rei, exceto talvez K X, ou uma mão sem nexo. Portanto, embora não fosse totalmente inofensiva, um ás ou uma carta baixa de ouros no turn seriam muito piores. Apesar disso, eu queria dar a ele a chance de tomar a frente e me dizer o que tinha, ou talvez apostar pelo valor/proteção com uma mão pior. No entanto, ele não apostou no turn, e pediu mesa quase que imediatamente.

O river trouxe um 7 de naipe irrelevante. Mais uma vez, essa era uma excelente carta para minha mão. Apenas 7-7 se beneficiaria com essa carta e, se ele tivesse um flush draw com o 7, poderia decidir pagar uma aposta no river. O tamanho do pote nesse instante era de cerca de $11.000. Apostar muito alto poderia fazer com que ele largasse pares menores, mas isso também poderia ocorrer apostando baixo. Muitas vezes, apostas pequenas que parecem ser pelo valor podem causar mais folds do que uma aposta de tamanho normal. Eu decidi colocar $7.200, uma quantia suficientemente pequena para que ele pagasse com uma mão pior e que parecesse um blefe também.

Infelizmente, ele tinha uma das poucas mãos que seriam jogadas dessa maneira para me derrotar: um par de valetes. Ele pagou rapidamente minha aposta no river com seu par, mas eu ainda gosto de como joguei a mão. Seria impossível para mim saber que ele tinha valetes, pois ele jogaria com oitos ou noves da mesma maneira, provavelmente. Alguns jogadores podem sugerir que eu deveria ter pedido mesa no river, de modo a induzir um blefe, mas eu discordo. As chances são de que, se ele estivesse seguro no flop, teria tomado a iniciativa no turn. As únicas mãos com as quais ele blefaria seriam cartas de ouro que não bateram, mas eu acho que ele esperaria que eu percebesse isso em um bordo tão pobre, dadas as circunstâncias. Eu não direi que nunca peço mesa no river nesse tipo de situação — pois faço isso com freqüência se achar que tenho o oponente certo. Mas, nesse caso, com mãos fracas, eu esperava muito mais que ele pagasse do que blefasse.




NESTA EDIÇÃO



A CardPlayer Brasil™ é um produto da Raise Editora. © 2007-2019. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização.

Lançada em Julho de 2007, a Card Player Brasil reúne o melhor conteúdo das edições Americana e Européia. Matérias exclusivas sobre o poker no Brasil e na América Latina, time de colunistas nacionais composto pelos jogadores mais renomados do Brasil. A revista é voltada para pessoas conectadas às mais modernas tendências mundiais de comportamento e consumo.

Sede: Rua Stela de Souza, 54 - Sagrada Família - Belo Horizonte/MG - CEP: 31030-490
contato@cardplayer.com.br
31 3225-2123
LEIA TAMBÉM!×