EDIÇÃO 104 » COLUNA NACIONAL

Sobre Lógica e Fantasmas

Dominando conceitos e estratégias


Fellipe Nunes
No poker, pensar logicamente é quase tão essencial quanto dominar conceitos e estratégias. No entanto, por vezes, tendemos a superestimar a leitura das situações. Quando o adversário entra de limp e, sem nenhuma informação adicional, optamos por não dar “raise” com uma mão na qual certamente deveríamos fazê-lo, deixamos a lógica de lado e passamos a agir de acordo com uma leitura breve e superficial. Nesse momento, vimos fantasmas e agimos com medo.

E não sei quanto a vocês, mas eu não acredito em fantasmas. Acredito que o poker, de maneira geral, é bastante exato, assim como suas maravilhosas e confusas linhas de pensamento. Analisando logicamente o exemplo acima, quantos limps são aplicados para fazer um “slowplay” ou uma armadilha com mãos do topo do range? É uma quantidade ínfima quando comparada à quantidade de “limps” aplicados com mãos especulativas ou fracas.

Se nos deixarmos agir com base nos fantasmas que enxergamos, com o tempo, perdemos não só nossa linha de raciocínio e jogo, mas também a confiança. O limp é uma jogada que representa fraqueza. Se o jogador estivesse com cartas de alto valor, ele daria raise. O limp é aplicado para conseguir avançar até o flop sem precisar pagar muito. Portanto, sua essência é ser uma jogada especulativa, sem grandes propósitos. E se a lógica diz que essa é uma jogada especulativa, bom, não há motivos para enxergar fantasmas.



Portanto, para não nos perdermos no jogo, precisamos pensar logicamente e seguir uma linha de raciocínio. Com isso, não quero dizer que poker é estritamente lógica. Caso fosse, uma boa tabela de ranges tornaria todos vencedores. Precisamos ler a mesa, as jogadas do adversário, o estágio em que o torneio se encontra, o histórico dos jogadores, ser criativos para pensar em jogadas que transcendem o básico, entre diversos outros fatores, mas sempre seguindo uma base lógica. Reiteramos com frequência no FLOW que o pensamento lógico e a confiança são essenciais para construir uma carreira sólida. E deixar que os fantasmas que enxergamos nas mesas guiem nossas ações, com certeza, não vai nos ajudar.

Eventualmente, você encontrará adversários que aplicarão jogadas fora do esperado, mas não deixe que esses percalços lhe distanciem da lógica e dos seus estudos. Afinal, de que servem as exceções, senão para justificar as regras?




NESTA EDIÇÃO



A CardPlayer Brasil™ é um produto da Raise Editora. © 2007-2018. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização.

Lançada em Julho de 2007, a Card Player Brasil reúne o melhor conteúdo das edições Americana e Européia. Matérias exclusivas sobre o poker no Brasil e na América Latina, time de colunistas nacionais composto pelos jogadores mais renomados do Brasil. A revista é voltada para pessoas conectadas às mais modernas tendências mundiais de comportamento e consumo.

Sede: Rua Stela de Souza, 54 - Sagrada Família - Belo Horizonte/MG - CEP: 31030-490
contato@cardplayer.com.br
31 3225-2123
LEIA TAMBÉM!×