EDIÇÃO 17 » ESTRATÉGIAS E ANÁLISES

Detectando o Blefe

Três elementos principais para detecção


Bob Ciaffone

Existem três elementos principais na detecção de blefes: “tells”, conhecimento do oponente e reconhecimento do tipo de situação. Discutiremos cada um deles.

Tells é o termo do poker para os maneirismos do oponente, dicas físicas que podem retratar o estado mental e o significado da aposta dele. Você não pode usar essas tells quando joga poker online. O único “maneirismo” que se consegue observar é o tempo que alguém leva para jogar. Contudo, esse tempo pode ser resultado de se estar jogando em vários mesas. O oponente pode precisar fazer uma jogada rápida para poder ir adiante e se concentrar em uma situação em outra mesa, ou pode se atrasar porque já está envolvido naquela situação. Existem outras distrações que afetam o ritmo e podem influenciar também: um telefonema, uma campainha, uma criança ou um cônjuge.

Em um jogo ao vivo, uma tell pode afetar bastante sua decisão. Eu não converso muito na mesa quando estou em uma mão. No entanto, alguns de meus alunos que são bons jogadores e se encontram diante de uma grande aposta gostam de conversar com o oponente. O que me surpreende é que eles obtêm sucesso em conseguir que o adversário comece a falar! E se o oponente começa a falar, ele em geral se entrega — especialmente se não estiver blefando. Eu vejo, é claro, esse tipo de conversa com o quem colocou a aposta, e a vejo ser respondida. Na maior parte do tempo, eu tenho uma sensação forte sobre uma ou outra coisa, e formulo uma opinião sobre como uma aposta deve ser respondida. Então, meu conselho é fazer com que o oponente fale quando aposta e manter sua boca fechada quando você estiver fazendo a aposta.

Eu chego a muitas conclusões com base no ritmo do oponente. Muitos deles, quando seguram uma mão forte, fazem uma “hesitação cortês”, levando cinco ou dez segundos para agir mesmo quando sabem o que vão fazer. Se você vir essa pessoa agindo sem dar uma pausa e sendo pega blefando, essa é uma informação válida que deve ser armazenada para uso posterior. Para interpretar ritmo ou maneirismos com confiança, é bastante útil saber algo sobre o oponente, em vez de interpretar uma ação de determinada forma independentemente de quem a execute. Por exemplo, se você começar a apostar e seu oponente pegar as próprias fichas antes de você ter colocado qualquer montante no pote, na maioria das vezes ele está tentando fazer com que você pare de apostar ou induzir uma aposta menor. Entretanto, ele ainda pode lhe pagar a contragosto. Além disso, um novato no poker pode não saber que você tem a opção de parar sua aposta e estar apenas se preparando para agir. Portanto, é preciso ter em mente que uma leitura de um oponente é muito mais confiável se você já tiver algo com que comparar quando aquele mesmo jogador se envolveu em uma situação similar.

A psicologia do poker é tal que um jogador fica muito mais propenso a blefar quando está perdendo. Um jogador que está por baixo vai procurar se recuperar, e geralmente tem pressa em fazer isso. O resultado é que ele joga mais mãos e, portanto, fica mais propenso a entrar em uma situação ruim na qual a única maneira de ganhar é usando a força. Ele também fica mais disposto a colocar fichas em risco executando um grande blefe. Os possíveis resultados de se afundar ainda mais ou se recuperar não são vistos como probabilidades de igual valor. Ao decidir se deve ou não pagar um possível blefe, uma consideração importante é saber se o oponente está no lucro ou no prejuízo.

Eu acho que o fator número um que vai lhe permitir detectar blefes (e evitar pagar apostas fortes quando o oponente tem uma mão monstro) é perceber que um jogador que tem uma mão decente não está disposto a fazer um grande blefe. Simplesmente mostrar uma mão em vez de declarar que ela tem um valor maior para representar um monstro é tanto poker bem jogado quanto uma inclinação humana natural. Blefes são compostos principalmente de draws não que não bateram. Eis algumas mãos que ilustram esse princípio:

Você recebe A-K do mesmo naipe em posição final e um jogador em posição inicial paga o big blind de $25. Você aumenta para $100 e o limper é o único que dá call. O flop vem K-9-3 rainbow, e ele pede mesa. Você aposta $175 e ele paga. O turn é um dois do quarto naipe, ele pede mesa e você aposta $400. Ele paga. No river, um 7 surge, ele aposta $1.200. O que você deve fazer? Contra um oponente que não seja louco, seu A-K não é bom. Se ele tivesse algo como A-Q ou A-J, teria pedido mesa novamente para depois decidir o que fazer se você apostasse. Obviamente, um oponente pouco experiente é capaz de fazer uma jogada maluca em qualquer situação, especialmente em uma mesa barata — mas esse não é um jogo de limites baixos. Na verdade, eu dei fold aqui, e meu oponente me disse mais tarde que tinha flopado uma trinca. Eu acredito que essa tenha sido a verdade. Tive sorte de não haver um flush draw no flop, senão teria sido muito mais difícil largar. Se você se deparar com uma aposta grande em uma situação na qual não há draws no flop, é provável que você esteja diante de uma mão forte em vez de um blefe.

Eis uma situação em que havia um draw no flop. Eu estava em um cash game online com blinds de $5-$10 vários anos atrás. Eu tinha K-Q no button em um pote sem raise com quatro jogadores na mão. O flop veio K-X-X com duas cartas de ouros. O limper UTG apostou $20, que eu paguei. A carta seguinte não parecia grande coisa, e ele apostou $40. Eu paguei de novo. O river foi um humilde dois de outro naipe, absolutamente inofensivo. Para minha surpresa, meu oponente apostou $150. Tive a impressão de que, se ele tivesse flopado um jogo grande, teria apostado valores mais altos desde o início para proteger sua mão, em vez de deixar tudo livre com uma explosão no final. Eu paguei. Sem surpresa, meu oponente estava apostando com o nut flush draw que não bateu.

Bob Ciaffone é autor de quatro livros de poker: Middle Limit Holdem Poker, Pot-limit and No-limit Poker, Improve Your Poker e Omaha Poker. Todos podem ser comprados através da Card Player. Ciaffone está disponível para lições de poker no e-mail thecoach@chartermi.net. O website dele é www.pokercoach.us, onde você encontra seu livro de regras, Robert’s Rules of Poker, de graça. Bob também tem um website chamado www.fairlawsonpoker.org.




NESTA EDIÇÃO


EDIÇÃO 17

Ano 2 - dezembro, 2008

ASSINE JÁ! ÍNDICE COMPLETO
FichasNet Garantimos o melhor negócio online na compra e venda de créditos.
RoyalPag - Comprou, jogou, ganhou, sacou!
Astropay
Aumente seu stack agora! Stack fichas
Fichas Nupano - Compra e venda de fichas online
Astropay

A CardPlayer Brasil™ é um produto da Raise Editora. © 2007-2018. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização.

Lançada em Julho de 2007, a Card Player Brasil reúne o melhor conteúdo das edições Americana e Européia. Matérias exclusivas sobre o poker no Brasil e na América Latina, time de colunistas nacionais composto pelos jogadores mais renomados do Brasil. A revista é voltada para pessoas conectadas às mais modernas tendências mundiais de comportamento e consumo.

Sede: Rua Stela de Souza, 54 - Sagrada Família - Belo Horizonte/MG - CEP: 31030-490
contato@cardplayer.com.br
31 3225-2123
LEIA TAMBÉM!×