EDIÇÃO 111 » MISCELÂNEA

Hand for Hand: Gerg merson x Jacob Balsinger

$10K Main Event da World Series of Poker 2012


Marcelo Souza

A cada mês, um renomado profissional do poker nacional analisa uma mão entre duas feras do poker mundial. Nesta edição, um dos principais nomes do poker brasileiro, Fernando “VC VEM!!” Aráujo, analisa um grande blefe aplicado por Greg Merson no 3-handed do Main Event da WSOP 2012.

Greg Merson – 80.400.000 fichas (J♥Q♥)

Jacob Balsiger – 70.100.000 fichas (Q♠10♦)

Jesse Sylvia – 47.000.000

Blinds: 400.000/800.000 com antes de 100.000


PRÉ-FLOP

Do BTN, Greg Merson entra de limp.

Fernando Araújo: Particularmente, não gosto desse limp quando o cenário está tão deep stack. Acho válido quando existe pelo menos um jogador com stack enter 15 a 25 bbs, que tenha um perfil agressivo pré-flop e que possa empurrar all-in com um range bem amplo. Isso balanceia o range de limp do BTN e evita o raise-fold com frequência. Mas aqui, acredito que dificilmente alguém dará raise para jogar sem posição contra Merson. E mesmo que Merson desse raise e alguém fizesse uma 3-bet, com esses stacks, ele teria uma mão excelente para jogar um 3-bet-pot em posição. Então, não vejo muito sentido em dar limp com Q-Js para, na maioria das vezes, jogar contra os dois em um pote bem menor. Assim, vou sempre optar pelo raise, uma vez que, geralmente, ou meus oponentes darão fold ou vou jogar somente contra o BB, que completará com um range enorme, tendo desvantagem contra minha mão. Ou seja, dando raise, na situação mais normal, vou me encontrar com QJs, em posição, contra o range fraco do BB, jogando a mão heads-up, sendo agressor e em um pote de aproximadamente 5 bbs. Na situação do limp, é provável que eu jogue contra dois jogadores, sem ser o agressor e em um pote de 3,5 bbs. Uma situação bem menos favorável que do primeiro caso.


Jesse Sylvia completa do SB. Balsiger aumenta para 3.700.000. Merson paga. Sylvia desiste.


Fernando Araújo: Balsiger se encontra em uma situação em que o range dos dois adversários parecem ser muito fracos: Merson dando limp com um stack tão grande, Sylvia apenas completando do SB. Mas será que só analisar a força das mãos dos oponentes é o suficiente nessa situação? Acredito que se você der um raise aqui, Merson pagará 100% das vezes em posição. E não importa que o range do Merson seja fraco, porque ele é um bom jogador e não jogará só as cartas. Ele pode representar uma infinidade de mãos no pós-flop. Então, o raise de 4,5 bbs para jogar um pote de 10,5 bbs sem posição, com Q-To, contra um bom jogador, não é um cenário interessante. O melhor seria dar check e ver o flop com sua mão, que tem bastante valor contra os dois limpers, e de quebra jogar um pote de 3,5 bbs sem agressores. 


Flop: 3♣ 8♠ 9♥ (Pote: 8.500.000)

Balsiger aposta 4.500.000.


Fernando Araújo: Balsiger agora se encontra em uma situação em que ele tem duas overs cards e uma broca. Um flop muito bom para as suas cartas, mas ruim pelo o que ele representa. Uma vez que seu range percebido para Merson, mesmo se ele considerar um range amplo e fora do padrão, será algo como 10-J+ e 7-7+. Então, por se tratar de um bom jogador, acredito que, nesse flop, Merson pagará a c-bet 100% das vezes, independentemente de suas cartas. Com stacks tão deeps, um flop tão bom para o range dele e ruim para Balsiger, ele vai jogar a situação e não só suas cartas. Com isso em mente, Balsiger tem que pensar na estratégia que tomará no turn e river, já que ele sempre será pago no flop. 

Existem vários turns bons para Balsiger continuar apostando, além das suas overs cards e da broca, os Ases e os Reis também são cartas que ele representa. Então, temos 18 cartas boas para apostar no turn, por valor ou blefe.

Assim, sabendo que a c-bet do flop não irá passar e que você terá que apostar no turn novamente, prefiro fazer uma aposta menor no flop, algo em torno de 35 a 40% do pote, para que, no turn, eu consiga fazer uma aposta de 50% (ou mais) do pote, investindo dessa maneira menos fichas. 


Merson paga. 


Fernando Araújo: Como esperado, ele paga, com o objetivo de levar a mão no turn ou river. Outro fator importante para o call é que existem vários turns que enfraquecem o range do Balsiger e fortalecem o do Merson. Além disso, agora sim analisando as cartas, ele tem duas overs cards e a broca.


Turn: 4♥ (Pote: 17.500.000)

Balsiger apostar 7.500.000.


Fernando Araújo: O turn não é uma carta boa para o Balsiger blefar, porém, ele ainda tem 10 outs que podem vencer a mão e quer continuar representando uma mão mais forte, como um par alto ou uma trinca. A verdade é que justamente por seu range de valor conter apenas pares altos e trincas, essa aposta dificilmente funcionará, mesmo que ele faça uma aposta maior do que os 40% que ele apostou. 


Merson paga.


Fernando Araújo: Primeiramente, vamos pensar no que o Merson representa e depois analisar o valor das suas cartas. Ele representa valores que tenham acertado o bordo ou draws do flop, que se completam com diversos rivers, como: 5, 6, 7, 10, J e Q. Apenas por isso, Merson já teria motivos para pagar o Turn. Mas agora, analisando o valor das suas cartas, ele ainda tem duas cartas altas, broca e flush draw, ou seja, 18 cartas que dão valor a sua mão e outras nove cartas que ele pode blefar (5, 6 e 7). 


River: 6♠ (Pote: 32.500.000)

Balsiger aposta 13.000.000.


Fernando Araújo: Aqui, Balsigier continua querendo representar poucas mãos de valor, mas deixa odds convidativas para o Merson dar um “hero call”. Ao blefar o river, ele também pode fazer mãos desistirem, como 10-J, 10-Q e J-Q, que possuíam draws no flop e não completaram. Porém, é um range pequeno de mãos e que o próprio Balsiger possui blockers.

A verdade é que essa aposta dificilmente fará Merson dar fold em qualquer mão de valor. Ele tem que colocar 13 milhões em um pote que tem 45,5 milhões, em uma situação que ele só será derrotado por uma pequena parte do range de Balsiger.


Merson vai all-in. 


Fernando Araújo: O 6 é uma carta boa para o range do Merson e ruim para o do Balsigier. Sabemos que mãos como 7-5, 10-7, 9-8, 9-6, 8-6 e 3-3 estão apenas no range de Merson. Quando Balsiger aposta 13 milhões em um pote de 32,5 milhões, ele polariza sua mão entre pares maiores ou blefes. Pela maneira que a mão foi jogada, Merson tenderá a dar um “hero call”. Então, se o Balsiger segurasse 9-9 ou 8-8, ele faria uma aposta mais alta. Portanto, ir all-in se torna uma opção muito convidativa para Merson. Todos os blefes darão fold e, possivelmente, os pares altos. 

Mesmo que Merson tivesse apenas uma mão que pareasse com o bordo, seria extremamente confortável para ele blefar o river, ou seja, transformar o valor em blefe, uma vez que se ele desse só call no river, ganharia apenas dos blefes e perderia para todos os pares maiores. 


Merson dá fold, 


Conclusão: Palmas para Merson, que jogou muito bem a mão; e um puxão de orelha para Balsiger, que construiu um pote gigante no pré-flop, totalmente desnecessário, contra um bom jogador e fora de posição. 




FERNANDO ARAÚJO

Capixaba, possui mais de R$ 1.000.000 em prêmios em torneios ao vivo. Já fez duas mesas finais de LAPT e ganhou o torneio High Roller e 6-Max do BSOP. Nas mesas do PokerStars, sob a alcunha de “VC VEM!!”, ele já embolsou mais de R$ 5.000.000.




NESTA EDIÇÃO



A CardPlayer Brasil™ é um produto da Raise Editora. © 2007-2018. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização.

Lançada em Julho de 2007, a Card Player Brasil reúne o melhor conteúdo das edições Americana e Européia. Matérias exclusivas sobre o poker no Brasil e na América Latina, time de colunistas nacionais composto pelos jogadores mais renomados do Brasil. A revista é voltada para pessoas conectadas às mais modernas tendências mundiais de comportamento e consumo.

Sede: Rua Stela de Souza, 54 - Sagrada Família - Belo Horizonte/MG - CEP: 31030-490
contato@cardplayer.com.br
31 3225-2123
LEIA TAMBÉM!×