EDIÇÃO 87 » COLUNA NACIONAL

A Chave para ser Competitivo


João Bauer e Fábio “F1oba” Maritan
Quem nunca ouviu aquele jogador dizer que só joga poker ao vivo porque não consegue se adaptar ao online? Ou mesmo aquele outro jogador que sente-se à vontade somente nos feltros virtuais. Até aí, tudo normal.
 
Jogadores têm suas preferências, focos e características próprias e, profissionais ou não, têm todo direito de praticarem poker como bem entenderem. Ao mesmo tempo, também vemos muitos jogadores que tentam diminuir um lado ou outro, fazendo críticas inapropriadas, colocando a culpa pelo seu insucesso em diversos motivos e esquecendo-se do principal: a autocrítica. 
 
No atual cenário, é preciso reconhecer que existem jogadores excepcionais que navegam com muito sucesso entre online e ao vivo. O que eles fazem de diferente? Fundamentalmente, são muito autocríticos e estão sempre se adaptando às situações que o poker propõe.
 


As diferenças entre essas duas esferas são várias. 
 
Adaptar-se do online para o ao vivo exige um bom ajuste no quesito paciência. Paciência porque enquanto no online você pratica poker em várias telas simultaneamente, ao vivo, aquela bad beat tende a ser mais dolorida, afinal não há mais torneios para se jogar. Paciência porque é preciso se adequar a uma dinâmica mais lenta, com menos mãos jogadas por hora, mas não menos interessante. Os jogadores devem aproveitar que estão apenas naquela mesa em específico e tirar o máximo disso, aguçando o foco e exercitando a observação, mesmo quando não estão envolvidos nas ações. 
Observar constantemente o que os oponentes vêm fazendo na mesa, além de trazer vantagens para a evolução do próprio torneio, é a troca que se faz para evitar o que é muitas vezes relatado por jogadores com foco no online: o tédio pela falta de ação. A presença física dos jogadores em uma mesa de poker deixa o jogo muito mais rico em nuances a serem percebidas do que no poker online, portanto exercitem a observação desde já.
 
A adaptação do jogo ao vivo para o online, em geral, é mais difícil. No online há mais jogadores profissionais, jogadores esses que, muitas vezes, se aperfeiçoam em cada modalidade do poker, por exemplo: heads-up. É normal você abrir o lobby do pokerstars e ver diversos jogadores sentados nas mesas só esperando os fishes (jogadores fracos) sentarem — parecem tubarões esperando a presa. Mesmo o Phil Ivey, que é considerado por muitos o melhor jogador do mundo, teria dificuldade em bater os SNGs de $200 hyper turbo ou as mesas de NL600. 



Portanto, para se inserir no universo online é necessário se especializar, se for multi table o que você procura, jogue só isso. Não fique transitando entre as diversas modalidades. A partir do momento que você dominar um jogo e se tornar lucrativo nele, a procura por outras especialidades passa a ser algo natural. 
 
Enquanto ao vivo você está acostumando a lidar com os mesmos oponentes, online, a diversidade de jogadores que enfrentará é gigante. É necessário um aprendizado para lidar com os mais diferentes vilões, estudar cada um deles, fazer notes específicos. É um trabalho de formiguinha, com grandes proporções nos seus resultados. 
 
Além disso, online exige um condicionamento para o multabling, ou seja, é necessário que se aprenda a jogar várias telas simultâneas, tomar decisões em um período menor de tempo. O dinheiro das entradas não é tangível, então é fácil esquecer que se está jogando a dinheiro real, principalmente com a facilidade de poder cair de um torneio e se focar em outro. Também são importantes estratégias como blefar menos e jogar mais por valor, utilizadas para abafar o efeito que o jogo online carrega por suas características próprias. 
 
Um exemplo claro de uma transição satisfatória é a do Daniel Colman (capa da edição número 85), jogador especializado em heads-up sit-n-go turbo e hyper turbo online, que vem destruindo nos torneios high stakes ao vivo. Ele joga um jogo muito específico online, mas o grau de exigência em conhecer adversários e evoluir o seu jogo pós-flop e short stack faz com que ele desenvolva o seu poker de uma forma geral, tornando-o um jogador completo. 
 
A adaptação é algo natural e atributo intrínseco a um bom jogador de poker. A observação, o estudo e a disciplina são fatores essenciais para que ela possa ser bem feita.


NESTA EDIÇÃO


EDIÇÃO 87

Ano 8 - outubro, 2014

ASSINE JÁ! ÍNDICE COMPLETO
FichasNet Garantimos o melhor negócio online na compra e venda de créditos.
RoyalPag - Comprou, jogou, ganhou, sacou!
Astropay
Aumente seu stack agora! Stack fichas
Fichas Nupano - Compra e venda de fichas online
Astropay

A CardPlayer Brasil™ é um produto da Raise Editora. © 2007-2019. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização.

Lançada em Julho de 2007, a Card Player Brasil reúne o melhor conteúdo das edições Americana e Européia. Matérias exclusivas sobre o poker no Brasil e na América Latina, time de colunistas nacionais composto pelos jogadores mais renomados do Brasil. A revista é voltada para pessoas conectadas às mais modernas tendências mundiais de comportamento e consumo.

Sede: Rua Stela de Souza, 54 - Sagrada Família - Belo Horizonte/MG - CEP: 31030-490
contato@cardplayer.com.br
31 3225-2123
LEIA TAMBÉM!×