WSOP

Profissional expulso do Main Event processa a WSOP

Joseph Stiers alega que a sua carreira foi “arruinada” depois da desclassificação no ano passado


24/08/2018 13:38
» comente
Profissional expulso do Main Event processa a WSOP /CardPlayer.com.br
Joseph Stiers afirma que sofreu uma emboscada por parte dos seguranças da WSOP no Main Event


Um profissional defende que a World Series of Poker errou ao desclassificá-lo do Main Event do ano passado, de acordo com um processo federal aberto há dois meses. Após o intervalo do jantar no Dia 3, momento em que tinha 630.000 fichas, cerca de 158 big blinds, Joseph Stiers foi expulso do salão do cassino Rio, em Las Vegas, sem reembolso do seu buy-in de US$ 10.000. 


“Eu fui agarrado, algemado e rapidamente levado para uma sala privada”, declarou Stiers.


Nos documentos judiciais obtidos pela Card Player, Stiers afirma que está buscando uma reparação justa e uma punição a Caesars Interactive Entertainment, proprietária da WSOP.


Em 2015, Stiers contou ao jornal Baltimore Sun que foi banido do cassino Horseshoe, também de propriedade do Caesars, depois de se envolver em uma confusão quando foi acusado de estar contando cartas em uma mesa de Blackjack. O Horseshoe confiscou US$ 350 em fichas de Stiers. Mais tarde, o órgão regulador dos jogos no estado ordenou que o cassino devolvesse o dinheiro a Stiers.


Stiers foi desclassificado do Main Event por estar banido de todas as dependências do Caesars. Entretanto, ele diz que jogou vários torneios da WSOP após o incidente em Baltimore. Em 2016, ele chegou a ficar ITM no Main Event, inclusive. À época, ele fez a sua inscrição no torneio utilizando o nome “Joseph Conorstiers”, uma junção entre os seus dois últimos sobrenomes, segundo site da WSOP. Em sua inscrição, o jogador também informou que era de Washington e não de Baltimore.


“Caesars/WSOP sempre aceitaram e ficaram com o meu dinheiro quando eu estava perdendo nos torneios de poker, o que ultrapassou a casa dos US$ 200 mil. Porém, eles só se utilizaram dessa expulsão durante um torneio em que eu estava em posição de ganhar US$ 8 milhões e tinha US$ 150 mil em chip equity”, escreveu Stiers em sua representação legal.


Em sua alegação, Stiers ainda afirma que se a WSOP tivesse deixado as suas fichas em jogo ao invés de retirá-las, ele teria conquistado ao menos US$ 20 mil.


“Eu mal posso explicar a dor e o sofrimento que Caesars/WSOP me causaram quando eu descobri que muitos anos de trabalho duro e dedicação não serviram para nada”, afirma Stiers.


Ao mesmo tempo em que pede que o tribunal ordene o fim do seu banimento, Stiers diz que foi vítima de uma propaganda enganosa que o induziu a largar o seu trabalho em uma proeminente empresa de consultoria para jogar a WSOP.




Siga a @cardplayerbr no instagram e fique por dentro das nossas novidades.

 



+WSOP



A CardPlayer Brasil™ é um produto da Raise Editora. © 2007-2018. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização.

Lançada em Julho de 2007, a Card Player Brasil reúne o melhor conteúdo das edições Americana e Européia. Matérias exclusivas sobre o poker no Brasil e na América Latina, time de colunistas nacionais composto pelos jogadores mais renomados do Brasil. A revista é voltada para pessoas conectadas às mais modernas tendências mundiais de comportamento e consumo.

Sede: Rua Stela de Souza, 54 - Sagrada Família - Belo Horizonte/MG - CEP: 31030-490
contato@cardplayer.com.br
31 3225-2123